Últimas Notícias sobre H3N2

Dos 2.377 casos de H3N2 registrados na Bahia de 1 de novembro de 2021 até a última terça-feira (8), 512 evoluíram para SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave). Neste mesmo período foram registrados 118 óbitos. Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Bahia (Divep) não houve registro de casos graves e nem de óbitos nas 2 últimas semanas epidemiológicas. Os últimos dados divulgados pela Divep indicam uma redução do número de casos e óbitos desde a primeira semana epidemiológica de 2022 em relação a novembro e dezembro de 2021.

Bahia atinge 9.479 casos ativos de Covid-19 — Foto: Divulgação/Governo da Bahia

Os últimos dados divulgados pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Bahia (Divep) indicam uma redução do número de casos e óbitos desde a primeira semana epidemiológica de 2022 em relação a novembro e dezembro de 2021.

Reprodução BNews

Apesar dos número de contágio e proliferação do Covid-19 voltar a subir nos últimos dias, as praias de Salvador voltaram a registrar aglomerações nesta terça-feira (18).

A Bahia atingiu, nesta terça-feira (18), 100 mortes pela Influenza A, do tipo H3N2, conforme dados da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), coletados desde o dia 1º de novembro. Em relação aos casos, foram registrados, até então, 2.184 no estado, distribuídos em 193 municípios.

O momento pandêmico também interferiu em uma das atividades favoritas da maioria das pessoas: fazer sexo. Para alguns, a pandemia contribuiu com a decisão de dar um tempo na relação com o parceiro.

Foto: Jefferson Peixoto/ Agecom

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) registrou, entre 1º de novembro de 2021 e 11 de janeiro deste ano, 1.872 casos de Influenza A, do tipo H3N2, em 163 municípios do estado. Entre os pacientes diagnosticados, 390 precisaram ser internados e 72 morreram — uma letalidade de 18,5%.

A nova cepa Darwin (H3N2) já atinge diversos estados brasileiro. — Foto: Reprodução

A infecção simultânea do vírus da Influenza e SARS-CoV-2 (Covid-19), denominada de Flurona, já foi detectada em 11 pacientes de cinco municípios baianos, sem a ocorrência de óbitos. Os números foram divulgados no balanço desta sexta-feira (7) pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Bahia, após o término das investigações epidemiológicas e análises do Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA).

Guanambi registra primeira morte por H3N2

Foto: Reprodução / Lay Amorim/Achei Sudoeste

A Prefeitura de Guanambi confirmou, em nota, o primeiro óbito por H3N2 do município. O paciente em questão era um homem de 62 anos, portador de comorbidades, apresentando Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Foto: Reprodução / GOVBA

A Prefeitura de Feira de Santana confirmou a primeira pessoa que morreu e teve resultado positivo para H3N2. O paciente em questão era uma criança, 4 anos, acometida por uma comorbidade neurológica grave e que estava internada no Hospital Estadual da Criança (HEC).

O secretário de saúde da cidade de Santo Antônio de Jesus, Dr. Leonel Cafezeiro, falou nesta terça-feira (4) sobre os casos classificados como gripe na cidade, principalmente depois das festas de final de ano.

Close