Em 18 dias, Bahia chega a 100 mortes por H3N2; 90% não estavam vacinados contra gripe

A Bahia atingiu, nesta terça-feira (18), 100 mortes pela Influenza A, do tipo H3N2, conforme dados da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), coletados desde o dia 1º de novembro. Em relação aos casos, foram registrados, até então, 2.184 no estado, distribuídos em 193 municípios.

Do total de casos, 454 evoluíram para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), ou seja, necessitaram de internação. Dentro deste grupo, considerando as notificações de mortes, a taxa de letalidade se configura em 22%, uma taxa 3,5% maior do que a registrada há uma semana.

A secretaria ressalta que 90% das mortes pela doença ocorreram em pacientes que não haviam sido vacinados contra a gripe. A maioria ocorreu na faixa etária acima dos 80 anos — 53% dos óbitos foram registrados nesta categoria. Além disso, verificou-se a presença de comorbidades e/ou condições de risco para agravamento da doença em 78% dos casos letais.

Os óbitos foram registrados nos municípios de Salvador (58), Feira de Santana (6), Teixeira de Freitas (6), Canavieiras (2), Ilhéus (2), Mulungu do Morro (2), Jequié (2), São Sebastião do Passé (2), Simões Filho (2) , Valença (02) e 01 óbito para cada um dos seguintes municípios: Mairi, Cabaceiras do Paraguaçu, Camaçari, Candeias, Catu, Guanambi, Itagimirim, Ituberá, Laje, Maragogipe, Nazaré, Pojuca, Ribeira do Pombal, Sapeaçu, Tanquinho, Urandi e Jequiriçá.

Flurona

O Laboratório Central de Saúde da Pública da Bahia (Lacen-BA) e a Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Sesab confirmaram 23 casos de infecção simultânea dos vírus da Influenza e Covid-19, denominada Flurona. A doença foi notificada nos seguintes municípios: Alagoinhas (02), Camaçari (01), Feira de Santana (02), Juazeiro (01), Lauro de Freitas (01), Muniz Ferreira (01), Mutuípe (01), Salvador (13), Vitória da Conquista (01). São dez pacientes do sexo masculino e treze do sexo feminino, com idades entre 8 e 91 anos.

Fonte: Metro 1