Últimas Notícias sobre Marielle Franco

Foto: Divulgação

O Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE/BA) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL/BA) estão oferecendo 410 vagas de estágios e jovens aprendizes para a toda a Bahia. Os requisitos variam de acordo com cada função. Vale ressaltar que as vagas podem sofrer alteração de perfil ou ser preenchidas ao longo da semana. Abaixo, você pode conferir mais detalhes sobre as oportunidades.

Foto: Divulgação

O ex-PM Ronnie Lessa, acusado de ter assassinado a vereadora Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes, foi condenado pela Justiça pelo crime de destruição de provas. Elaine, a esposa de Lessa, o cunhado Bruno Figueiredo, e mais dois amigos dele identificados como Márcio Montavano, o Márcio Gordo, e Josinaldo Freitas, o Djaca, também foram condenados pelo mesmo crime.

Ronnie Lessa e Élcio Queiroz deixam a Delegacia de Homicídios, na Barra, após serem presos em março de 2019 — Foto: Reprodução/TV Globo

A Justiça do Rio negou o recurso das defesas dos acusados dos homicídio de Marielle Franco e Anderson Gomes nesta terça-feira (9). Com o resultado, Ronnie Lessa e Élcio Queiroz vão ser levados a júri popular. A decisão foi dos desembargadores da 1ª Câmara Criminal, por unanimidade.

Foto: © Reprodução-Facebook

Viúva da vereadora assassinada Marielle Franco (PSOL), a arquiteta Mônica Benício, 34, foi a 11ª vereadora mais votada da cidade do Rio de Janeiro, com 22.999 votos.

Foto : Renan Olaz/Câmara do Rio de Janeiro

Os cinco roteiristas da série de ficção sobre Marielle Franco, assassinada em 2018, que será dirigida por José Padilha, pediram demissão esta semana. A informação divulgada pela coluna de Ancelmo Gois, do jornal O Globo. Foi montada uma equipe só com profissionais negros, a maioria, mulheres. O grupo estava trabalhando desde abril na produção, idealizada por Antonia Pellegrino e prevista para ir ao ar em 2021, pela Globoplay.

Foto: Reprodução/Vídeo campanha eleitoral

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu parecer favorável ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) na disputa com o Google para o fornecimento de dados na investigação do assassinato da vereadora do RJ, Marielle Franco, e seu motorista, Anderson Gomes, em 2018. A Google havia entrado com um mandado de segurança, recusando-se a fornecer as informações.

Foto: Divulgação/SSP-RJ

O ex-policial militar do Rio de Janeiro Adriano Magalhães da Nóbrega usava uma concessionária de luxo na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, para vender e comprar carros. O local foi alvo de pesquisas na internet feitas por Ronnie Lessa, acusado de matar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes, e era frequentado pelo autointitulado empresário Márcio Mantovano, preso por participar da operação que jogou ao mar armas pertencentes a Lessa.

Foto: Divulgação

O policial militar reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, irão a júri popular pela morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Foto: Vagner Souza/Arquivo BNews

O governador do estado, Rui Costa (PT), justificou, por meio de um tweet neste sábado (15), uma operação policial que termina na morte do miliciano, Adriano da Nóbrega. “Se estes atiram contra pais e mães de família que representam a sociedade, os mesmos têm o direito de salvar suas próprias vidas”, escreveu no Twitter.

Policias e agentes do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) vasculharam na manhã desta quarta-feira (12) o sistema de esgoto de um condomínio no Rio de Janeiro.

Close