Últimas Notícias sobre Marielle Franco

Foto: Marcos Corrêa/PR/Divulgação

A procuradora do Ministério Público, Simone Sibilio, chefe do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO), confirmou que o porteiro que envolveu o nome do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na morte da vereadora Marielle Franco mentiu em depoimento à Polícia Civil. De acordo com Simone, quem autorizou a entrada de Élcio Queiroz no condomínio do presidente é Ronnie Lessa, suspeito de ter feito os disparos.

Foto: Reprodução / Twitter

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), que apareceu em um vídeo destruindo a placa de uma rua que homenageava a vereadora no Rio de Janeiro, se irritou com uma enquete do jornalista Guga Noblat e arremessou o celular dele no chão, na noite desta quarta-feira (16).

Foto: DR

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro cumprem hoje (3) cinco mandados de prisão em um desdobramento das investigações dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, ocorridos em março do ano passado. Um dos mandados está sendo cumprido contra o policial reformado Ronnie Lessa, acusado de participar dos homicídios.

Foto: reprodução

Nesta segunda-feira (9), o jornal ‘O Globo’ divulgou detalhes de um relatório sigiloso baseado no inquérito da Polícia Federal sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e seu motorista Anderson Gomes. A disputa por pontos políticos estaria por trás da suspeita de um possível envolvimento do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado

Foto: Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio

Após a conclusão da segunda parte da audiência de instrução na qual a Justiça ouviu testemunhas do caso Marielle Franco, a viúva da vereadora, a arquiteta Mônica Benício, disse estar “relativamente otimista” com os rumos da investigação. O processo corre em segredo de justiça e a imprensa não pôde acompanhar os depoimentos.

Foto: Arquivo Pessoal

Dois meses após o início das audiências dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes, o delegado da primeira fase do caso, Giniton Lages, e a viúva de Marielle, Mônica Benício, prestarão depoimento em outra audiência nesta sexta-feira (2).

Imagem: Reprodução/Facebook

A prefeitura de Lisboa aprovou, por unanimidade, uma proposta do partido BE para dar o nome da vereadora e ativista Marielle Franco, morta em 2018, a uma rua da capital portuguesa.

Foto: Reprodução / Redes Sociais

O policial militar Rodrigo Jorge Ferreira admitiu ter mentido ao incriminar o miliciano Orlando Curicica como um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco. Ferreirinha, como é conhecido, é alvo de mandado de prisão em uma operação do Ministério Público do Rio nesta sexta-feira (31).

Foto : Renan Olaz/ Câmara Municipal do Rio

O inquérito da Polícia Federal (PF) que apura a atuação da Polícia Civil no caso Marielle concluiu que o policial militar Rodrigo Jorge Ferreira, o Ferreirinha, e a advogada dele, Camila Nogueira, tinha intenção de atrabalhar as investigações.

Foto : Renan Olaz/ CMRJ

A Polícia Federal (PF) encontrou provas de que houve atos de corrupção praticados por integrantes da Delegacia de Homicídios da Capital (DH) do Rio de Janeiro, que é responsável pela investigação dos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, há mais de um ano. De acordo com reportagem do UOL, os atos de corrupção na delegacia impediram o esclarecimento da autoria de assassinatos que envolvem milicianos do “Escritório do Crime” e integrantes da máfia do jogo do bicho no RJ.

Close