Apesar da pandemia, Gilberto diz ser favorável ao retorno dos jogos

-
Foto: Divulgação

Os treinos presenciais no Bahia foram retomados, mas o que o atacante Gilberto quer mesmo é poder voltar a balançar as redes adversárias. Artilheiro do tricolor com sete gols em 10 jogos na atual temporada, o camisa 9 enxerga o retorno do futebol como uma chance de dar alegria ao povo brasileiro durante a pandemia do novo coronavírus.

“Os médicos, e todas as partes do Brasil inteiro, tanto governadores como o presidente da república, estão vendo que agora é o momento de voltar e não podemos, com tudo que está acontecendo, muita gente desempregada, recusar e não voltar. Temos que fazer o nosso esforço para entregar algo bom para o Brasil nesse momento difícil. Com tudo isso, espero que os jogos voltem logo que a gente possa ajudar outras pessoas a ter o emprego de volta”, analisou o atacante.

Apesar de ser a favor do retorno das partidas, Gilberto entende que o momento ainda é delicado em todo o país por conta do surto do coronavírus. Por isso, ele diz que concorda com uma possível continuidade da Copa do Nordeste em sede única.

Nos últimos dias, os clubes concordaram em finalizar o Nordestão em uma única cidade, evitando as viagens e reduzindo os riscos de contaminação. A proposta foi enviada à CBF que dará uma resposta final. Recife, Salvador e Fortaleza estão entre as cotadas para receber o torneio.

A escolha do local, no entanto, também vai passar pelas autoridades de saúde. Em Salvador, por exemplo, a retomada dos jogos de futebol depende do achatamento da curva de contaminação do coronavírus. De acordo com boletim divulgado na noite de quarta-feira (17), a Bahia ultrapassou a marca de 40 mil casos da doença e mais de 1.200 óbitos foram confirmados. 

“Importante é manter a segurança, a gente vive um momento difícil no país como um todo, a mobilização deve ser para cuidar do país inteiro e das pessoas que vivem nele e tudo que houver mais segurança para o povo, para aqueles que fazem o futebol é importantíssimo. Se a sede única for o melhor, que isso se conclua e os jogos voltem o mais rápido possível”, disse Gilberto.

Mesmo com o possível retorno dos jogos, Gilberto tem a convicção de que vai sentir falta de uma coisa: a festa da torcida tricolor nas arquibancadas. Com a orientação de que aglomerações sejam evitadas, em um primeiro momento os jogos serão realizados apenas com portões fechados e sem a presença dos torcedores.

“Se tratando da torcida do Bahia, a festa que eles faziam, a força que traziam para nós dentro de campo, não tem como não dizer que isso é ruim para a equipe. É ruim para a equipe, mas vamos ter que se superar, que arranjar essa força dentro de nós e sabendo que a torcida vai estar casa torcendo, passando a vibração, aquela energia positiva para que a gente consiga os triunfos e leve esse clube a um patamar ainda maior do que ele já está no nível nacional”, diz.

Preparado
Na manhã desta quinta-feira, o elenco tricolor voltou aos treinos na Cidade Tricolor. Como vem sendo desde a retomada das atividades, o contato físico entre os atletas está proibido e o foco tem sido na parte física.

E apesar dos três meses sem treinos no CT, Gilberto garante que vinha mantendo uma rotina pesada de atividades em casa e que em pouco tempo vai estar pronto para entrar em ação com a camisa tricolor.

“Treinar em casa não deve ser uma ordem dos comandantes, mas uma questão pessoal de cada um. Sabíamos que em algum momento o futebol ia voltar e teríamos pouco tempo para treinar. Então, se doar ao máximo de espaço que tinha para treinar para chegar agora a gente estar na metade da bateria para chegar ao ponto que a gente esteja com a bateria lá em cima para começar os jogos. Claro que não vamos chegar 100% para as partidas, mas até lá vamos pegando essa forma”, explicou o centroavante. (Correios)