BN/Paraná: 87,5% de Salvador acha que Réveillon aumentará números da Covid

Foto: Valter Pontes / Secom PMS

A maioria absoluta dos moradores de Salvador são contrários à realização do Réveillon na capital baiana e consideram que, caso a festa aconteça, os números relativos à pandemia de Covid-19 devem aumentar. Pelo menos, é o que diz o levantamento publicado nesta quinta-feira (2) pelo instituto Paraná Pesquisas, em parceria com o Bahia Notícias.

Um total de 85,4% dos entrevistados responderam que são contra a realização da festa de ano novo, enquanto 12,3% se disseram a favor de que a comemoração ocorra. Não souberam responder ou não opinaram, 2,3%.

Os mais jovens, entre 16 e 24 anos, são os mais favoráveis à festa, com 26,6% a favor e 73,4% contra. Em sentido contrário, entre os mais velhos, com 60 anos de idade ou mais, apenas 9,6% dos entrevistados se disseram a favor do Réveillon, enquanto 87,5% são contra.

Perguntados sobre a relação da festa de fim de ano com a pandemia da Covid-19, 87,5% dizem acreditar que, caso o Réveillon aconteça, a contaminação pelo coronavírus deve aumentar. Outros 10% creem que as comemorações não possuem potencial para mudar o quadro da doença. Não responderam ou não opinaram, 2,5% dos entrevistados.

Mais uma vez, as pessoas entre 16 e 24 anos, são as que menos acreditam nos efeitos negativos do Réveillon nos números da pandemia. Segundo o levantamento, 21,9% dos mais jovens creem que a festa não irá aumentar as contaminações pelo novo coronavírus, enquanto 75% disseram que a situação pode se agravar.

Já entre os mais velhos, com 60 anos de idade ou mais, acreditam quase em sua totalidade (90,4%) que comemorações de Réveillon devem aumentar a contaminação pelo novo coronavírus, enquanto 7,7% não crê na interferência da festa nos números da pandemia.

O Paraná Pesquisas ouviu 568 pessoas entre os dias 24 e 28 de novembro, no território de Salvador. As entrevistas foram realizadas pelo telefone. A margem de erro é de 4%, para mais ou para menos. (Bahia Notícias)