Entenda como a vacinação fez de Serrana, SP, um ‘oásis’ entre cidades em colapso pela Covid-19

Em meio aos fechamentos para frear a Covid-19 nas vizinhas Ribeirão Preto, Cajuru, Brodowski e Altinópolis, com colapso na saúde e escalada de casos e mortes, Serrana (SP), cidade que participou do estudo do Instituto Butantan para avaliar a eficácia da Coronavac em populações inteiras, se tornou praticamente uma ilha, com flexibilização das atividades econômicas e otimismo.

Neste domingo (30), o Fantástico, da TV Globo, divulgou parte dos resultados do Projeto S, iniciado em março e finalizado em abril. Os dados apontam que, após o fim da vacinação, as mortes por Covid-19 caíram 95% na cidade.

Em paralelo à perspectiva otimista em Serrana, 23 cidades nas regiões de Ribeirão Preto e Franca adotaram medidas mais rígidas para reduzir a transmissão do vírus.

Só em Ribeirão Preto, com 711,8 mil habitantes, a taxa de ocupação nas unidades de terapia intensiva (UTIs) está em 94,08% neste domingo, enquanto a cobertura vacinal com duas doses é de 12,49% da população.

Primeiros resultados
Os resultados da pesquisa mostram, ainda, que o número de casos sintomáticos da doença teve uma redução de 80%, enquanto as hospitalizações caíram cerca de 86%. Para os cientistas, o controle da pandemia se deu depois que 75% da população recebeu a segunda dose.

Em abril, Serrana já observava uma queda expressiva na incidência da Covid-19. Após registrar 699 casos em março, o número caiu para 251. As mortes passaram de 20 para 6 no mesmo período.

A pesquisa do Instituto Butantan também revela que, enquanto 15 cidades vizinhas apresentavam aumento no número de casos, Serrana caminhava na contramão e apresentava reduções expressivas.

A apresentação completa da conclusão do estudo ocorre nesta segunda-feira (31), durante coletiva de imprensa do governo de São Paulo. (G1)

  • TAGS