Funcionária denuncia presidente da CBF por assédio sexual e moral

Foto: Divulgação

Em xeque nos últimos dias após a confirmação da Copa América no Brasil, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) Rogério Caboclo foi formalmente denunciado nesta sexta-feira, 4, na Comissão de Ética da CBF e a Diretoria de Governança e Conformidade por uma funcionária da entidade por suposto cometimentos dos crimes de assédio sexual e assédio moral. As informações são do GE.

A funcionária, autora da denúncia detalhou os episódios que teriam acontecido em abril do ano passado. No documento, ela afirma ter provas dos fatos narrados na denúncia e pede que o Caboclo seja investigada e punido pela CBF e pela Justiça Estadual.

A funcionária, que não teve a identidade revelada, relata constrangimentos sofridos em viagens e reuniões com o presidente e na presença de diretores da CBF. Em um dos fatos narrados na denúncia, ela afirma que o presidente da CBF apresentava comportamentos abusivos, como da vez que a questionou se ela “se masturbava”.

Em um dos episódios de assédio, Rogério Caboclo tentou forçá-la a comer um biscoito de cachorro, chamando-a de “cadela”. A denúncia diz ainda que os abusos eram de conhecimento de outros diretores.

O denúncia, embora oficializada nesta sexta, já era de conhecimento interno de todos os diretores e vice-presidentes da CBF há pelo menos um mês e meio. A funcionária faz parte da equipe de cerimonialistas da entidade desde 2012. (A Tarde)