Homem morre após passar mal dentro de ferry-boat na Bahia; passageiros reclamam de falta de equipamentos para atendimento

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Um homem de 54 anos morreu após se sentir mal, a bordo do ferry-boat Ivete Sangalo, logo após iniciar a travessia da Ilha de Itaparica para Salvador, na manhã desta quinta-feira (13). O passageiro recebeu os primeiros socorros de tripulantes, que acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas a vítima não resistiu.

A embarcação tinha acabado de sair do terminal marítimo de Bom Despacho para a capital baiana, quando o incidente ocorreu. Após ser atendido pela tripulação, o homem foi retirado de dentro da embarcação e levado ao terminal, e teve o óbito confirmado. O nome do passageiro não foi divulgado.

Testemunhas disseram que outra embarcação atracou no momento em que o ferry em que o homem estava retornava à baia, o que teria atrasado a ajuda.

Uma das passageiras, Cristiane Santana, comentou que houve uma demora de cerca de 25 minutos até o ferry-boat Ivete Sangalo atracar e o homem ser retirado da embarcação.

“Deveria ter sido interrompido o desembarque da outra embarcação. Até eles voltarem e liberarem o ferry para dar assistência ao senhor, esse processo durou uns 25 minutos. Nesse tempo, tentaram reanimar ele, mas sem suporte nenhum”, disse a mulher.

Cristiane acrescentou que não havia equipamentos, como desfibrilador, para atender ao homem e o atendimento foi feito totalmente manual. Ainda segundo a mulher, após a embarcação atracar, não tinha uma ambulância para transportar a vítima ao sair do ferry.

“Eles deram assistência, mas sem nenhum tipo de suporte. Não tinha nada que pudesse reanimar. Um balão de oxigênio, outro equipamento, nada! Tudo foi feito manualmente. O cara saiu em um carro de mão. Uma falta de estrutura enorme. Hoje foi esse senhor, mas poderia ter sido a minha mãe”, disse.

Em nota, a Internacional Travessias, que administra o sistema ferry-boat, informou que “lamenta a profundamente o ocorrido e se solidariza com os amigos e familiares da vítima”. (G1)