Retorno às aulas 100% presenciais na rede estadual de ensino tem adesão maior do que o previsto

Escolas reabrem no Rio de Janeiro - Reuters/Pilar Olivares/Direitos Reservados

O retorno das aulas 100% presenciais na rede estadual de ensino teve uma adesão maior dos estudantes do que o governo baiano esperava. Segundo o subsecretário estadual da Educação, Danilo Souza, um levantamento inicial apontou que há unidades escolares em que os alunos compareceram praticamente em sua totalidade. 

A expectativa inicial da pasta era que pouco mais de 50% dos estudantes retornassem nestes primeiros dois dias de ensino totalmente presencial, mas a forte participação dos alunos deixou os gestores animados. A Secretaria estadual da Educação ainda quantificará todas as escolas, pois algumas apresentaram “problemas pontuais”.

Souza destacou que as aulas presenciais possibilitam um aproveitamento maior das oportunidades que a escola oferece, como grupos de estudos, bibliotecas, socialização, troca de experiências educacionais e culturais. Ele citou também que a alimentação escolar é outro fator importante e que ajuda no processo de aprendizagem. 

“Nem todos os alunos dispõe de acessibilidade em suas casas. Temos estudantes se preparando para o Enem e, esse retorno, dá condições aos professores de fazerem a mediação com mais qualidade. Adolescentes, pré-adolescentes e adultos compreendem a importância de interagir no ambiente da escola, que é insubstituível”, pontuou o subsecretário.

Quanto à segurança das unidades escolares em relação à Covid-19, após a APLB Bahia dizer que o governo estava mandando os professores para o ‘paredão da morte’, Souza citou que quase 100% dos professores tomaram as duas doses da vacina e a possibilidade de contaminação é muito pequena, já que o uso da máscara é obrigatório naquele ambiente.

“A contaminação nas escolas é bem inferior à contaminação em outros ambientes. Quando acontece, a repercussão nas pessoas vacinadas é muito menor”, acrescentou o subsecretário. Ele assegurou que, antes da liberação das aulas totalmente presenciais, foi analisado todo o quadro vacinal e os servidores e estudantes que possuem comorbidades não voltaram às salas de aula, pois precisam ser cuidados de forma diferente. (Bocao News)