Salvador: Serviços públicos da rede municipal oferecem proteção a mulheres vítimas de agressão

Foto: Divulgação

A Prefeitura, através da Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), disponibiliza serviços públicos gratuitos e especializados em denúncias e acolhimento de mulheres em Salvador. De acordo com a pasta, durante a pandemia da Covid-19, registros apontam um crescimento no número de feminicídios no Brasil e alerta que é importante denunciar, ao menor sinal de violência.

Um dos serviços da rede municipal é o Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce (Camsid), que funciona 24h, na Rua Lélis Piedade, 63 – Ribeira. Já o Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência Loreta Valadares (CRAMLV), oferece teleatendimento pelo telefone (71) 99701-4675. Mulheres que se sintam ameaçadas também podem procurar o Centro de Referência Especializado de Atendimento à Mulher Arlette Magalhães (Cream), através do telefone (71) 98791-7817.

Segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, houve um aumento de 2% em todo o país no primeiro semestre de 2020, comparado ao mesmo período do ano anterior, chegando a 649 casos. Na Bahia, foram 58 ocorrências, representando um crescimento de 20, 8%. 

Durante a pandemia de coronavírus, houve um aumento de subnotificação dos casos, tendo em vista a maior dificuldade de registros por parte das mulheres em situação de violência doméstica durante a vigência das medidas de distanciamento social.

Os números mostram um crescimento de 3,8% dos acionamentos no Brasil feitos às polícias militares em casos de violência doméstica, registrados no primeiro semestre de 2020, ou seja 147,4 mil chamados. No entanto, apesar disso, houve uma redução de 9,9% dos registros feitos em delegacias. (Metro1)