Saúde estava preocupada com novas variantes do coronavírus durante Copa América

Foto: Agência Brasil

“Lembra que o comentário antes da realização da Copa América era de que a competição aumentaria os casos de Covid-19 no Brasil? Não foi isso que aconteceu”, escreveu o Ministério da Saúde, orgulhoso, no dia 11 de julho de 2021, logo após o fim da Copa América. Contudo, conforme revelou documento divulgado pelo Fiquem Sabendo, agência especializada no acesso a informações públicas, a pasta ficou preocupada com o surgimento de novas variantes durante o evento.

Dados do Ministério apontam que 99,4% dos testes de Covid-19 entre os 28.772 realizados em meio à Copa América foram negativos. Contudo, a Câmara Técnica de Diretrizes e Orientações para o Manejo da Covid-19 do Distrito Federal produziu um parecer desfavorável à realização do torneio.

Segundo o órgão, havia a possibilidade de que novas variantes do novo coronavírus começassem a circular no país, aumentando assim a taxa de transmissão da doença. “Mesmo os jogos sendo fechados ao público, os torcedores podem promover aglomerações em outros locais, tais como visto em jogos anteriores”, destaca o documento.

Nos 29 dias de Copa América, 179 casos de Covid-19 foram contabilizados entre os participantes do torneio. A variante B.1.621 foi oficialmente identificada no período. (BN)