Três anos após morte, casa que Domingos Montagner nasceu virará centro cultural

Foto: Reprodução / Globo

Três anos após a morte do ator Domingos Montagner durante gravações da novela “Velho Chico”, da Rede Globo, sua viúva, Luciana Lima, decidiu transformar o legado do artista em projeto social. No domingo (29), será apresentado o projeto para transformar a casa onde o ator nasceu e viveu, no bairro do Tatuapé, na zona leste de São Paulo, em um centro de cultura e educação, para trabalhar com jovens da região em situação de vulnerabilidade social.

De acordo com a revista Quem, o projeto vai se iniciar a passos curtos, com uma campanha de crowdfunding para viabilizar a primeira etapa da iniciativa, que vai atuar em escolas da região. A iniciativa contará com o Instituto DOM, associação sem fins lucrativos formada pela viúva do ator, a produtora executiva Luciana Lima; seu sócio na Cia LaMínima e grande parceiro, Fernando Sampaio; o irmão do ator e profissional da área contábil e tributária, Francisco Montagner; e o amigo e gestor cultural com larga experiência em educação pela arte, Gustavo Wanderley.

A ideia é transformar no espaço na sede da Casa Domingos Montagner – Cultura & Educação e abrigará cursos, vivências, espetáculos, exposições, e oportunidades educativas, através do Circo e do Teatro, para jovens de 13 a 24 anos.

(Bahia Noticias)