Vereadores de Camaçari cobram apoio da bancada da Bahia para manter incentivo tributário

O Regime Especial da Indústria Química (REIQ) está em iminência de acabar. A decisão do governo federal de acabar com o incentivo tributário, pode custar à Bahia até 30 mil empregos perdidos. Pensando em reverter essa medida, a Câmara de Vereadores de Camaçari está cobrando dos deputados e senadores da bancada da Bahia que atuem. O município da Região Metropolitana de Salvador será o principal prejudicado caso o incentivo não seja retomado.

“Estamos novamente mobilizando forças políticas suprapartidárias para lutar pelo retorno do regime, através da convocação de deputados e senadores que representam a Bahia e precisam lutar conosco em defesa dessa causa, em defesa dos empregos em Camaçari. Essa é uma prioridade absoluta, que interessa não só à nossa cidade, mas a toda Bahia”, disse Júnior Borges, presidente da Câmara de Vereadores de Camaçari.

Na manhã desta terça-feira (18), a Câmara de Camaçari teve reunião com o senador Otto Alencar (PSD), o presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, Geraldo Júnior (MDB) e os vereadores de Camaçari Dilson Magalhães (PSDB) e Gilvan Souza (PSDB). Antes, Júnior Borges já havia se encontrado com o deputado federal Cláudio Cajado (PP). Otto Alencar afirmou que é contra a revogação e que está se movimentando neste sentido no Senado, colocando-se à disposição para ajudar no que for preciso.

“Não vamos permitir isso neste momento em que o Brasil precisa garantir empregos. Este setor é fundamental para o desenvolvimento econômico e também para a expansão da ciência, da pesquisa e da tecnologia. É muito importante que o Brasil possa, como país em desenvolvimento, manter essa possibilidade de melhoria das suas plantas industriais e dos investimentos para melhorar a tecnologia do setor químico e petroquímico”, disse Otto, que adiantou que já fez contato com senadores de outros estados para impedir o fim do REIQ.

Fonte: BN