85% dos animais que ingeriram lixo nos mares são espécies em risco de extinção

-
Foto: Divulgação

De acordo com um relatório da ONG (Organização Não Governamental) Oceana, que estuda a quantidade de poluição nos oceanos em todo o mundo, 85% dos animais que ingeriram lixo nos mares são espécies em risco de extinção. Também de acordo com o relatório, 50% de todos os animais pesquisados haviam ingerido algum tipo de plástico.

“Esses números refletem apenas a fração de animais que foi necropsiada e encontrada nas regiões Sudeste e Sul do país. Portanto, a quantidade de espécies e indivíduos sendo impactados pela ingestão de resíduos plásticos está criticamente subestimada”, afirma a Oceana no documento.

A ONG também informa que o material mais encontrado nos tratos digestórios dos animais marinhos: “O material descrito nas fichas de triagem de 1.837 animais, sendo 1.496 répteis, 295 aves e 46 mamíferos. Foram registradas sacolas, embalagens, tampas de caneta e de garrafa PET, botões, buchas de parafuso, pulseiras, canudos, lacres de alimentos embutidos, palitos, copos descartáveis e outros materiais descritos apenas como “plástico ou microplástico””.

Os microplásticos são materiais que também estão presentes em redes e linhas de pesca.

Os números foram estabelecidos a partir de diversas necropsias realizadas em espécies marinhas, incluindo 197 mamíferos, dos quais duas espécies estão listadas como em extinção, 573 aves, das quais duas estão listadas e 2.955 tartarugas marinhas, das quais cinco foram listadas. (CNN)