Após avisos de interdição em boxes da Feira Livre de S. A. de Jesus, secretária afirma que a intenção é incentivar o recadastramento

Na manhã desta terça-feira (14), os comerciantes da Feira Livre da cidade de Santo Antônio de Jesus amanheceram com cartazes de interdição em algumas unidades comerciais do galpão de agronegócio.

Em entrevista, uma feirante falou que não foi avisada previamente sobre a interdição, “legalizei, estive no SAM (Serviço de Atendimento Municipal) e o pessoal falou que meu nome não constava, por isso não liguei. Aqui tem gente que não vende nem para o sal. Temos passado tempos difíceis. A secretária disse que não iria interditar, ela falou que fez isso para fazer as pessoas se recadastrarem”, expôs.

Já em entrevista ao Voz da Bahia, a secretária de agricultura da cidade, Drª. Gilsonilda Correia, popular Nil, afirmou que não se trata de fechamento dos boxes, mas sim, um incentivo ao recadastramento através do Serviço de Atendimento ao Munícipe (SAM) da cidade, “não se trata de galpões com portas fechadas, o que existe é que anunciamos o recadastramento da Feira Livre, já aconteceu o recadastramento do setor de confecções e hoje estaremos entregando a carta de permissão. O galpão de farinha já está (90%) recadastrado, 10% não compareceu. Agora estamos no agronegócio. A partir daí demos um prazo que se estendeu por dois meses, os fiscais foram todos os dias no local e cerca de 20% não veio fazer o recadastramento. Tenho até dezembro para apresentar o projeto de revitalização da Feira Livre. Eu estava com meu trabalho sendo prejudicado por causa de 10% ou (15%) relacionado a dois galpões, uma pequena parte”, concluiu.

Reportagem: Voz da Bahia