Bahia vence Sergipe, mas dá adeus à Copa do Nordeste

O colombiano Hugo Rodallega marcou o primeiro gol e agora soma 12 bolas na rede na temporada - Foto: Rafael Machaddo | EC Bahia

Pareceu até um filme repetido, um déjà vu, um looping temporal ou como preferir chamar. Mais uma vez o Bahia chega na última rodada de uma competição precisando vencer e de combinações de resultados. Mais uma vez o Tricolor vence, mas os tropeços dos adversários diretos não ocorreram. Falta de sorte? Com certeza não! Pura e simples incompetência.

Incompetência é a palavra que melhor resume o desempenho do Bahia no primeiro semestre de 2022. Após ser eliminado na primeira fase do Baiano no meio da semana, neste sábado, 19, foi a vez de dar adeus ao Nordestão. É bem verdade que o time venceu o modesto Sergipe por 3 a 1, com Hugo Rodallega sendo o grande nome mais uma vez. O colombiano marcou o primeiro gol e agora soma 12 bolas na rede na temporada, sendo oito no certame regional. Marco Antônio e Ronaldo completaram o placar. Wendel fez o de honra do Gipão.

Porém, o resultado de nada serviu, já que Náutico e Botafogo-PB venceram seus respectivos embates contra o Globo e o Sampaio Corrêa. Os dois avançaram e o Tricolor encerrou sua participação na quinta colocação, com 13 pontos somados após quatro vitórias, três derrotas e um empate.

O Bahia só volta a entrar em campo por uma partida oficial no dia 9 de abril, quando enfrenta o Cruzeiro na estreia na Série B do Campeonato Brasileiro, principal competição do time na temporada, já que o objetivo é tentar voltar para a elite nacional.

Na estreia da Segundona, o Tricolor chegará com a marca de três vitórias seguidas, nas quais marcou dez gols e sofreu apenas dois.

Já o Sergipe, com apenas um ponto em todo o Nordestão, está eliminado da competição. O time sergipano já volta a campo na próxima terça-feira, mais uma vez na Arena Batistão, em Aracaju. A partida será contra o Maruinense, às 20h15 (de Brasília), pela 9ª rodada do Campeonato estadual.

Rodallega resolve

O Bahia iniciou a partida romando as rédeas do jogo, indo pra cima, empurrando o Sergipe contra a parede e tentando abrir o placar o quanto antes na Arena Batistão.

Mas quem assustou primeiro foi o Gipão. No escanteio, Chiquinho Alagoano mandou a bola no meio da confusão. A redonda sobrou para Matheus de Paula, que testou por cima. 

Porém, na primeira chance real de gol, ele, sempre ele, Hugo Rodallega, não perdoou e abriu o placar para o Bahia logo aos 1 minutos de jogo. O Tricolor trocou passes na entrada da área dos donos da cada, até a bola chegar em Borel, na direita. O jovem lateral tocou rasteiro para o atacante colombiano, que mandou para o fundo da rede.

Os comandados de Guto Ferreira seguiram comandando as ações da partida. Mas sem incomodar muito a defesa adversária. Até que aos 29, após rápido contra-ataque, Daniel recebeu no meio e achou um passe certeiro para Rodallega, que chutou cruzado, pra fora

Raí ainda chegou a exigir boa defesa do goleiro Kennedy, após soltar uma bomba numa sobra de bola aos 43. E, três minutos depois, o argentino Lucas Mugni cobrou falta com veneno e mandou direto para o gol, no ânuglo. Mas Kennedy se esticou todo e fez uma defesa sensacional.

Fez o que deu

O elenco tricolor já voltou do intervalo ciente de que estava sendo eliminado, já que o Náutico e o Botafogo-PB foram para os vestiários vencendo seus respectivos jogos.

Tentando não se abater e apostando em um milagre, o Bahia ampliou aos 7 minutos, com Marco Antônio. Um golaço. O meia-atacante foi acionado na entrada da área, fez a finta para cima do zagueiro, tirou de Kennedy e estufou as redes.

Wendel, de cabeça, diminui para o Sergipe. E, nos acréscimo, Ronaldo fez o terceiro do Bahia no jogo.

Apito final e o atual campeão do Nordestão dá adeus.

Sergipe 1×3 Bahia – 8ª rodada da Copa do Nordeste

Local: Arena Batistão, em Aracaju-SE

Gols: Wendel, aos 24 minutos do segundo tempo (Sergipe); Rodallega, aos 10 minutos do primeiro tempo, Marco Antonio, aos 7, e Ronaldo, aos 46 minutos, do segundo tempo (Bahia)

Árbitro: Leonilson Fernandes Trigueiro Filho (RN)

Assistentes: Vinicius Melo de Lima e George Italo Antas Nogueira (RN)

Cartões amarelos: Sílvio (Sergipe); Luiz Otávio, Lucas Mugni e Matheus Bahia (Bahia)

Público e renda: Não divulgados

Sergipe – Kennedy; Chiquinho Alagoano (Alexandre Lazarini), Sílvio, Diego Augusto e Ryan (Wendel); Júnior (Ewerton Ageu), Janderson, Fabiano e Davi Lessa (Hiago Ramiro). Matheus de Paula e Adailson (Kaio Felipe). T: Daniel Neri.

Bahia – Mateus Claus; Douglas Borel, Luiz Otávio, Ignácio e Luiz Henrique (Matheus Bahia); Patrick de Lucca (Miqueias), Lucas Mugni, Daniel e Marco Antonio (Ronaldo); Raí (Djalma Silva) e Rodallega. T: Guto Ferreira.