Criança de 12 anos pede emprego para o pai em cartinha: ‘Não quero ver ele triste’

Carta foi escrita no dia 6 de dezembro, mas entregue apenas na última sexta-feira (20) (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/Carla Camargo Marques e Silva)

O garoto Matheus Gomes Freire, de 12 anos, escreveu sua cartinha para Papai Noel, assim como muitas crianças fazem nessa época do ano. O que chamou a atenção, no entanto, foi o conteúdo da carta: ele “só queria um emprego para o meu pai, para ele não ficar mais triste”. O caso aconteceu na cidade de Cubatão (SP) e gerou repercussão.

De acordo com informações do G1 Santos, o menino contou que foi entregar a carta a Papai Noel em um shopping, mas o local estava fechado. Na última sexta-feira (20), ele encontrou uma Mamãe Noel em uma loja de departamento e entregou a cartinha. Uma funcionária leu o pedido e publicou a carta nas redes sociais.

“Quando ele veio até mim, perguntou se podia entregar e eu disse que sim, em seguida, ele me questionou se eu não ia jogar fora”, contou ao G1 a locutora Carla Camargo Marques e Silva, que foi quem recebeu a carta de Matheus. Ela mostrou a carta para a colega Suelen Conceição Ferreira, que publicou em uma rede social a foto da carta. A partir disso, aconteceu a repercussão. “Se a gente puder ajudar, vamos tentar fazer o Natal melhor”, disse a funcionária ao G1.

O pai de Matheus é Manoel Dos Santos Freire, de 53 anos. Ele é soldador e está desempregado há dez meses.

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/Manoel Gomes Freire

“Quando a gente está trabalhando, fica tudo bem. Sabemos que vamos receber para pagar as contas, mas quando não se tem emprego, as contas chegam e não tem como pagar. As coisas ficam mais difíceis a cada dia. Tenho que trabalhar para suprir as necessidades de casa e, nessas horas, só Deus mesmo para não deixar a gente cair”, contou Manoel ao G1. Ele ainda explicou que vive de “bicos” e da ajuda de amigos, que contribuem com cestas básicas.

Manoel ainda contou que não esperava pela atitude do filho na cartinha. “Eu estou sabendo agora. Fico orgulhoso do meu filho se preocupar conosco”, disse ao G1. Já Matheus fez questão de reforçar o seu desejo. “Não quero nada mais. Só um emprego para meu pai, porque não quero mais vê-lo triste”, disse com firmeza.

(iBahia)