Cruel: Com gol de Jael, Ceará vence o Bahia na final do Nordestão

Ex-Bahia, Jael marca gol do triunfo do Ceará, em Pituaçu (Arisson Marinho / Correio)

Um resultado cruel e com a assinatura de um jogador que leva o adjetivo como apelido. Jael, o Cruel, fez a alegria dos tricolores em Pituaçu na campanha de 2010, quando ajudou o Bahia a conquistar o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. Na tarde deste sábado (1º), ele voltou ao estádio para deixar o papel de herói no passado e assumir o de vilão.  

Foi do centroavante o gol que garantiu o triunfo do Ceará por 1×0 no primeiro jogo da final da Copa do Nordeste. Aos 47 minutos do segundo tempo, ele cobrou falta e mudou o resultado do jogo, marcado anteriormente por duas expulsões muito semelhantes. Luiz Otávio e Charles exageraram nos carrinhos e deixaram o gramado ainda na etapa inicial comprometendo o vigor do espetáculo. 

Bahia e Ceará voltam a se enfrentar no último e decisivo jogo da final da Copa do Nordeste no próximo sábado (8), às 16h, no estádio Castelão, em Fortaleza. Se der empate no reencontro, o alvinegro, atual campeão, fica com a taça. Se o Bahia vencer por um gol de diferença, o título será decidido nos pênaltis. 

DUAS EXPULSÕES

O Bahia tomou o primeiro susto aos oito minutos de bola rolando. Por conta da chuva que caiu em Salvador, o gramado do estádio de Pituaçu estava com algumas poças e uma delas fez com que a bola ficasse presa após tentativa de chute de Luiz Otávio. Vina conseguiu chegar e bateu por cobertura. Ligado no lance, Matheus Teixeira fez a defesa. 

Dono da casa, o tricolor foi pra cima do Ceará. Nino avançou pela direita e cruzou para Rodriguinho. O camisa 10 percebeu a chegada de Thaciano e o deixou em boa condição, mas o volante mandou para fora. Na sequência, nova tentativa de Thaciano, dessa vez ele recebeu de Rossi e mandou por cima do travessão. 

O Bahia se soltava no jogo e comandava as ações, até um lance obrigar o time a se reorganizar. Aos 19 minutos, o zagueiro Luiz Otávio deu um carrinho em Lima. A entrada com as travas da chuteira na canela do adversário fez com que ele fosse expulso de campo. Para recompor a defesa, o técnico Dado Cavalcanti substituiu de imediato Daniel por Juninho. 

Inicialmente, o Bahia não sentiu tanto a expulsão, mas logo o Ceará apresentou mais volume de jogo. Com um jogador a mais, o alvinegro ganhou um pouco mais de liberdade, mas ainda assim não conseguiu aproveitar bem a vantagem numérica. Empurrado, o tricolor fechou a marcação e, pra isso, sobrecarregou jogadores de criação e finalização, a exemplo de Rodriguinho e Gilberto, que em alguns momentos precisaram recuar para ajudar a defesa. 

A melhor chance da etapa inicial saiu dos pés de Vina. O meia do Ceará cobrou falta direto para o gol e com endereço certo, mas Matheus Teixeira conseguiu espalmar. A bola ainda bateu no travessão antes de sair. 

O cenário do jogo voltou a ser modificado nos acréscimos em função de um lance muito parecido com o que protagonizou Luiz Otávio. Aos 46 minutos, o volante Charles deu um carrinho em Nino Paraíba e também foi expulso de campo.  

CRUEL

Com a igualdade numérica dentro das quatro linhas, o jogo reiniciou equilibrado depois do intervalo, mas o desgaste físico extra provocado pelas expulsões fez com que o jogo se tornasse menos propositivo na etapa final. A primeira oportunidade do Ceará foi com Mendoza, que cabeceou para fora. A do Bahia saiu dos pés de Rossi. Rodriguinho cobrou escanteio, Conti tocou de cabeça e viu o atacante mandar por cima do gol após bater de primeira. 

No finalzinho do jogo, Nino Paraíba quase marca. O lateral tricolor cobrou falta, o goleiro Richard deixou a bola passar entre os dedos e encontrar a trave. Na volta, o zagueiro alvinegro Luiz Otávio mandou pra longe. Estava reservado a Jael o feito de mudar o placar do jogo. 

Ex-Bahia, o atacante alvinegro deixou o banco de reservas e precisou de apenas cinco minutos em campo para comemorar. Aos 47, ele cobrou falta com força, a bola bateu em Óscar Ruiz, que estava na barreira, e tirou o goleiro Matheus Teixeira do lance: 1×0. 

PRÓXIMOS JOGOS

Antes de Bahia e Ceará se enfrentarem no jogo de volta da final da Copa do Nordeste, as duas equipes entram em campo pela Copa Sul-Americana. O Bahia recebe o Independiente, da Argentina, na terça-feira (4), às 19h15, em Pituaçu. O Ceará visita o Bolívar, no mesmo horário, só que na quarta-feira (5), no estádio Hernando Siles, em La Paz, na Bolívia.

FICHA TÉCNICA

Bahia 0x1 Ceará – Primeiro jogo da final da Copa do Nordeste 

Bahia: Matheus Teixeira, Nino Paraíba, Conti, Luiz Otávio e Matheus Bahia; Patrick, Thaciano (Matheus Galdezani) e Daniel (Juninho); Rossi (Óscar Ruíz), Gilberto (Alesson) e Rodriguinho (Thonny Anderson). Técnico: Dado Cavalcanti.

Ceará: Richard, Buiú, Messias, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Oliveira, Charles e Vina (Yony González); Lima (Pedro Naressi), Felipe Vizeu (Saulo Mineiro) e Mendoza (Jael). Técnico: Guto Ferreira.

Estádio: Pituaçu, em Salvador 
Gol: 
Jael, aos 47 minutos do 2º tempo
Cartão amarelo: Patrick,  Vina, Nino e Nino Paraíba
Cartão vermelho: Luiz Otávio e Charles
Arbitragem: Antônio Dib Moraes de Sousa, auxiliado por Rogério de Oliveira Braga e Márcio Iglesias Araújo Silva (Trio do Piauí).