Estudante constrói antena 3-D para menino com espectro autista fissurado no objeto

Foto: Divulgação

Lucas Calmon, de 32 anos, é estudante de engenharia mecânica na Universidade Federal da Bahia e há dois anos comanda uma empresa que faz trabalhos com uma impressora 3D. Ele conta que nesse período recebeu pedidos inusitados, mas tem um especial que ele mais gostou de fazer: uma antena.

Tudo começou quando a estudante de medicina Ester da Ressureição entrou em contato, perguntando se ele fazia encomendas. O irmão da futura médica, Levy, de 11 anos, é portador de espectro do autista e apaixonado por uma antena. Ele anda com o objeto pela casa toda e até dorme abraçado a ela.

“Levy nunca gostou dos brinquedos convencionais. A gente dava um presente e ele acabava gostando mais da embalagem. Por ser fissurado em caixas d’água e antenas, a gente conseguiu em miniatura para ele. A antena era o mais difícil, foi assim que encontrei Lucas”, contou Ester.  

“Ester me disse que com o irmão ficando grandinho, e dividindo a cama com a mãe e a outra irmã, estava difícil ter tanto espaço, já que a antena é grande. O pedido foi por uma antena em miniatura, que ele pudesse continuar apegado, mas sem carregar esse trambolho”, contou.

“Eu dei monitorias para poder pagar a antena 3D, mas é um esforço que vale a pena, ele pede tão pouco e do que gosta, gosta com muita intensidade. Levy ficou muito contente com a nova antena! O meu irmão não costuma verbalizar muito, mas adorou que ela é da GVT, sua preferida, e fica repetindo isso o tempo todo”, disse Ester.

“Fiquei muito feliz de ter ajudado a família, e topamos contar a história para poder divulgar o trabalho, mas, principalmente, ajudar outras pessoas”, afirmou Lucas. (Metro1)