Fim do pesadelo: Vitória vence Operário no final e zera risco de queda

0
138
-
Wesley, com a bola, é vigiado por Allan Vieira (Foto: JOãO VITOR REZENDE BORBA/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO)

Acabou o tormento. Depois de enfrentar dias difíceis, com direito até à lanterna do campeonato, o Vitória está matematicamente garantido na Série B de 2020. Isso porque, na noite desta terça-feira (19), o rubro-negro venceu o Operário por 2×1, em Ponta Grossa (PR), e chegou a 45 pontos.

O Londrina, primeiro time dentro do Z4, tem 36 pontos e dois jogos por disputar: ou seja, só pode chegar a 42 e não alcança mais o Leão, que subiu para 11º lugar com o resultado. A penúltima rodada continua até domingo.

Léo Gomes abriu o placar para o Vitória no estágio Germano Krüger e Cleyton igualou ainda na etapa inicial. O empate já era suficiente para o rubro-negro escapar do rebaixamento, mas o grito de alívio saiu, de vez, com Thiago Carleto que, no último minuto do jogo, cobrou falta na gaveta e garantiu o triunfo. A hora, agora, é de avaliar o ano tenebroso e se preparar para um 2020 melhor.

O jogo
O começo da partida foi muito ruim, com os dois times travados no meio-campo. Geninho optou por escalar o Vitória com a trinca de volantes composta por Baraka, Léo Gomes e Lucas Cândido e isso deixou a equipe com pouca criatividade.

Nenhum dos times conseguia fazer mais do que tocar para o lado e rondar a área do adversário. Prova disso é que a primeira finalização da partida só aconteceu aos 23 minutos, só que em dose tripla e com gol.

Depois de Van fazer uma boa jogada na direita, a bola chegou ao domínio de Léo Gomes. O volante chutou pela primeira vez e parou na defesa do goleiro André Luiz. A bola voltou para Léo Gomes, que cabeceou na trave. Se a pelota insistia em não entrar, Léo não ficou atrás na teimosia e pegou o rebote novamente. Na terceira tentativa, balançou a rede e fez 1×0. 

Em seu 51º jogo como profissional, o camisa 16 marcou seu primeiro gol da carreira. Um tento com sabor de despedida: vendido para o Athletico-PR, Léo Gomes estava pendurado e levou o terceiro cartão amarelo. Como resta apenas uma rodada para o fim da Série B, o jogo contra o Operário foi o último dele no clube.

Demorou até que uma nova chance de gol surgisse. Até então, o destaque eram as jogadas violentas que Eron deu em Maílton. Primeiro, o atacante do Vitória deu uma entrada de cima para baixo, na canela do lateral adversário. Depois ainda atingiu o rosto do mesmo jogador com um tapa. Por sorte, não foi expulso.

O Operário ainda chegou em outras duas oportunidades antes do final do primeiro tempo. Martín Rodríguez fez bela defesa na cabeçada de Batatinha, mas não conseguiu evitar que o cruzamento de Allan Vieira fosse direto para o fundo da rede. Era o empate do time da casa. A arbitragem deu o gol para o atacante Cleyton.

Segundo tempo
A etapa complementar começou muito mais quente do que os 45 minutos iniciais. Logo na primeira chegada, por exemplo, o Vitória conseguiu marcar um gol com Lucas Cândido aproveitando rebote do goleiro que não conseguiu segurar a falta cobrada por Thiago Carleto. Mas a arbitragem anulou corretamente alegando impedimento.

Com mais posse de bola, o Operário assustou com Schumacher, que levou Martín Rodríguez a fazer uma intervenção. Sim, você não leu errado: além de John Lennon, o time paranaense tem um Schmacher no elenco.

O goleiro uruguaio foi o nome do Vitória no jogo. Aos 31, pegou a cabeçada desferida por Alisson à queima-roupa. Àquela altura, se o empate continuava no placar, era graças a mais uma boa atuação de Martín.

Quando tudo se encaminhava para o empate, Thiago Carleto apareceu. Ele e a bola parada que tanto ajudaram o Leão na reta final da Série B. O camisa 50 cobrou uma falta no canto e garantiu os três pontos para o Vitória. Tchauzinho, Série C.

O rubro-negro ainda tem um jogo antes de encerrar a temporada. A despedida será contra o Coritiba, dia 30, no Barradão, em jogo válido pela 38ª rodada.

Ficha Técnica
Campeonato Brasileiro | Série B | 37ª rodada
Operário 1×2 Vitória
Data:
 19 de novembro de 2019 | Estádio: Germano Krüger, em Ponta Grossa-PR
Operário: André Luiz, Mailton (Jean Carlo), Lázaro, Alisson e Allan Vieira; John Lennon, Índio e Marcelo; Cleyton (Rafael Chorão), Lucas Santana e Uilliam (Schumacher). Técnico: Gerson Gusmão
Vitória: Martín Rodríguez, Van, Éverton Sena, Ramon e Thiago Carleto; Léo Gomes, Baraka e Lucas Cândido; Wesley, Eron (Felipe Garcia) e Anselmo Ramon. Técnico: Geninho
Gols: Léo Gomes, aos 23 minutos do primeiro tempo; Cleyton, aos 45 minutos do primeiro tempo; Thiago Carleto aos 50 minutos do segundo tempo;
Cartão amarelo: Léo Gomes, Eron (Vitória) | Maílton (Operário)
Arbitragem: Diego da Silva, auxiliado por Cleriston Clay Barreto Rios e Rodrigo Guimarães Pereira (trio de Sergipe)
 

*Com supervisão do editor Herbem Gramacho – Correio 24h

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui