Funcionários do MEC afirmam que resultado do Enem não é confiável

-
Foto: Divulgação/ Inep

Funcionários do Ministério da Educação (MEC) disseram à Folha, sob condição de anonimato, que não são confiáveis as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) após a nova correção feita pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. Isso porque não foi feito o novo cálculo dos parâmetros dos itens usados nas provas do exame.

Conforme os funcionários disseram à Folha, o procedimento daria mais segurança ao processo de nova conferência, mas demandaria mais tempo. O governo de Jair Bolsonaro preferiu abrir mão dessa etapa para dar uma resposta rápida à falha nas correções e manter o cronograma do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Se feito, o recálculo dos parâmetros poderia reduzir o erro padrão do exame e indicar variações nas notas. Pequenas, mas suficientes para alterar a lista de aprovados em cursos concorridos. O entendimento é que o Inep só fará o recálcuo se a Justiça assim determinar. O Inep não se manifestou sobre o assunto.
Entenda os cálculos da prova
De acordo com a Folha, o Enem adota o modelo Teoria da Resposta ao Item, no qual os itens da prova passam por pré-testes com público similar ao que faz a prova. A partir daí são estabelecidos os parâmetros dos itens, como os níveis de dificuldade.

No Enem de 2019, nem todas as questões que caíram foram pré-testadas. Nesses casos, o Inep precisaria realizar a calibragem a partir do desempenho real na prova. A partir daí, o órgão seleciona uma amostra aleatória de participantes para regular os parâmetros desses itens.

A amostra usada no exame do ano passado foi de 100 mil participantes, e somente depois disso os parâmetros gerais foram estipulados e as notas dos alunos, calculadas. Além dos itens novos na prova, os resultados de parte dos 6 mil participantes com as notas erradas por troca de gabarito fizeram parte dessa amostra.

O Inep registrou 83 casos na prova de Ciências da Natureza e 105 na de Matemática. Isso implica que a calibração ocorrida na prova de itens não pré-testados teve respostas erradas e isso preocupa integrantes do Inep e do MEC. As notas do Enem dependem não só do número de questões certas, mas do nível de dificuldade daquelas que foram assinaladas corretamente. (Bahia.Ba)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui