Gestor da Embratur é investigado por assediar secretária no WhatsApp

-
Reprodução

O coordenador-geral de Tecnologia de Informação da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), Marcus Thiago de Oliveira Figueiredo, é acusado de assediar sexualmente uma subordinada de 21 anos.

Segundo a coluna Janela Indiscreta, do Metrópoles, as mensagens no aplicativo WhatsApp revelam possíveis investidas contra uma secretária a partir de agosto de 2019, apenas dois meses após o gestor tomar posse no cargo público. Os diálogos integram um processo administrativo interno que tramita no Conselho de Ética da instituição.

De acordo com o Diário Oficial da União (DOU), Marcus Thiago foi nomeado para o cargo no dia 17 de junho do ano passado para receber um salário bruto mensal de R$ R$ 10.373,30. Os diálogos perduraram por pelo menos um mês e, embora a postura da estudante demonstre distanciamento dos desejos carnais do chefe, a investida tem uma escalada obscena.

“Vem aqui para a gente despachar, minha princesinha. Terminou? Vou ficar mal acostumado. Acho que esse mal costume é bom, hein. Estou sentindo o seu cheirinho aqui, acredita?”, teria ele iniciado a conversa num dos momentos mais suaves do diálogo.

Em outro trecho, é possível identificar uma aparente sinalização de benesse no caso de a empreitada funcionar. “Já consegui sua vaga, viu? Quer conversar amanhã ou quer conversar hoje? Quer comer algo?”. Na resposta, a secretária recua do convite por mencionar uma festa de aniversário naquela noite.

Em outros momentos, fora do horário de expediente, a mensagem atribuída ao coordenador-geral de Informática da Embratur também aparenta que ele estaria determinado a manter uma relação amorosa com a universitária. “Se amanhã quiser dormir comigo, venha porque te darei muito carinho e não sexo”, teria insinuado. Depois, ele vai além: “Agora, que vou te dar muitos beijinhos, isso eu vou”.

Em outra oportunidade, ele mira novamente: “Vamos ser claros? Minha intenção para você é sexo?”, continua. A secretária confirma: “Estou interpretando mal? Se estiver, me desculpa”, reage. “Vou ser bem claro, tá? Você me desperta desejo, sim”, confessa.

No decorrer desse enredo, os capítulos protagonizados pelo perfil com a foto do coordenador-geral de Informática da Embratur passam a ter um conteúdo ainda mais erótico.

“Tive um sonho contigo que acordei achando que era real”, iniciou. Quando a moça pede para saber o conteúdo, o perfil atribuído ao gestor continua: “Foi gostoso”. Após um aparente desprezo pela história, o interlocutor insiste: “Depois que eu tinha muitos orgasmos, eu te chupava todinha e você gozava muito na minha língua. E você pedia muita coisa. Gostou? Ficou excitada?”, registra trecho do diálogo.

A coluna procurou todos os mencionados no suposto episódio de assédio sexual. Por telefone, a então contratada da agência pública afirmou que não comentaria absolutamente nada acerca do caso. Da mesma forma acionado, o coordenador-geral não atendeu as ligações realizadas durante a tarde e a noite desta quinta feira (13).

Já o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, decidiu atender as ligações da reportagem e, ao tomar conhecimento do teor, disse já ter tomado providências sobre o episódio.

“Soube desse lamentável episódio apenas na semana passada e foi aberta uma sindicância interna para apurar os fatos. Assim que tomei conhecimento dessa situação, determinei o imediato afastamento desse rapaz até que o caso seja elucidado”, disse à coluna.

Segundo o pernambucano, várias oitivas têm sido realizadas dentro da agência com o objetivo de colher depoimentos sobre a conduta do conterrâneo. Não há previsão para o Conselho de Ética da instituição apresentar o resultado da auditoria.

Veja trechos das conversas: