Governo entrega unidade de Rastreamento do Câncer de Colo de Útero e Mama em Juazeiro

Foto: Manu Dias/GOVBA

Umas unidade móvel para operação do Programa de Rastreamento do Câncer de Colo de Útero e Mama foi entregue nesta terça-feira (30) em Juazeiro, no norte da Bahia. A iniciativa é resultado da parceria estabelecida entre Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, o Instituto Avon e a Fundação Pio XII, entidade mantenedora do Hospital de Amor.

A Secretaria de Saúde estima que outras cinco unidades móveis serão entregues até o mês de outubro, contemplando as regiões de Jequié, Irecê, Teixeira de Freitas, Guanambi e Metropolitana de Salvador. As unidades tem capacidade de realizar 127 exames de mamografia e papanicolau. “As carretas vão operar junto com as policlínicas. Elas terão médicos e equipamentos e vão percorrer as cidades, fazendo exames de mama e de prevenção do câncer de colo de útero”, explicou o governador da Bahia Rui Costa.

As policlínicas de Jequié, Irecê, Teixeira de Freitas e Guanambi, o Hospital da Mulher (Salvador) e o Instituto Ivete Sangalo (Juazeiro) serão as unidades fixas de referência dos veículos, sendo responsáveis pelo exames complementares de diagnóstico (mamografia com estereotaxia, ultrassom de mama, biópsia de mama e colo do útero), além de consultas médicas especializadas e aulas de educação continuada para os profissionais de saúde da região.

O programa tem o objetivo de ampliar a detecção precoce de dois tipos de câncer (mama e colo de útero) de grande importância epidemiológica no Estado da Bahia, por meio da estratégia itinerante e de elucidação diagnóstica. Sua implementação envolve um investimento de R$ 63 milhões, sendo R$ 51 milhões em recursos do Estado e R$ 12 milhões de contrapartida da Fundação Pio XII, captados por meio do Instituto Avon, que se dedica a projetos e ações para o combate ao câncer de mama e ao enfrentamento da violência contra a mulher. O público-alvo abrange as mulheres de 25 a 64 anos para o rastreio do câncer de colo de útero e de mulheres de 40 a 69 anos para o câncer de mama. (BN)