Invocação do Mal? Jovem leva susto ao ver piso quebrar e estourar do nada diante dela e vídeo viraliza

Piso estourou por causa de mudança brusca de temperatura (Reprodução/flay.fr)

Imagine estar em casa e, do nada, o piso começar a estourar e a quebrar diante dos seus olhos: parece cena de cinema, mas ocorreu com a fotógrafa Flávia Freitas, de 24 anos. A jovem estava em casa quando escutou um barulho alto e viu o chão se partir sem motivo aparente. Flávia gravou o momento em vídeo e as imagens viralizaram nas redes sociais nessa quinta-feira (19).

No vídeo, é possível ver o piso de cerâmica rachando do cômodo em que a fotógrafa estava até a sala. “E o piso da minha casa que começou estourar do nada. Por um momento eu achei que fosse um demônio. Rindo de nervoso”, escreveu Flávia na legenda do registro. Apesar de parecer uma cena de “Invocação do Mal”, o motivo do piso rachar repentinamente foi o calor e a má instalação das placas de cerâmica.

Ao BHAZ, Flávia conta que mora em Praia Grande, São Paulo, e estava em casa se preparando para o trabalho quando tudo ocorreu. “Eu estava almoçando para ir trabalhar, eu sou fotógrafa, e do nada escutei um barulho no chão e deu um trincado. Eu comecei a gravar para poder mostrar para minha mãe, porque né, como que minha mãe ia acreditar em mim depois?”, começa de forma bem humorada.

A fotógrafa ainda revela que tudo começou de uma hora para outra. “Do nada começou estourar tudo, estourou da parte do quarto até praticamente a sala inteira”, relembra. “Fiquei desesperada, meu cachorro ficou desesperado também, muito assustado. Eu peguei ele, fiquei em cima da cama esperando terminar de estourar tudo”, continua.

“Quando eu peguei ele para sair de casa, porque eu deixei a casa estourando sozinha, eu pisei no chão estourou um piso e até machucou um pouco a minha perna no dia. Mas eu sai de casa com meu cachorro e eu estava desesperada”, diz Flávia. Ela ainda conta que o fenômeno ocorreu a cerca de um mês, mas decidiu postar o vídeo apenas agora.

Não era um demônio

Flávia explica que, após todo o ocorrido, chamou pedreiros para avaliar o dano e analisar o que causou tal situação. O dia extremamente quente e o espaçamento inadequado entre os pisos foram apontadas como responsáveis pela destruição.

Segundo o engenheiro perito Clemenceau Chiabi, presidente do conselho do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia (IBAPE), esses fenômenos não são incomuns quando há uma grande diferença de temperatura. “Há uma natural contração e dilatação das estruturas de maneira diferenciada. Cada material de construção movimenta-se de maneira diferenciada”, explica o perito.

Com a movimentação por causa da temperatura, os materiais podem acabar estourando, caso a instalação não tenha sido realizada de forma adequada. De acordo com Clemenceau, a quebra do material pode ocorrer em diferentes circunstâncias. “Cada tipo de cerâmica tem na caixa qual a espessura de rejunte. A distância, ela varia de acordo com o tipo de peça de cerâmica e o tipo de uso. Não é tudo igual. Se você usar em ambiente externo é uma espessura, se usar em ambiente interno é outra espessura”, exemplifica.

Outro possível problema é a argamassa de assentamento que pode ter sido inapropriada para cerâmica. “Quando o assentamento for feito em desacordo com a norma, em relação à ampliação da massa de assentamento, em relação ao tempo de uso da massa e em relação à largura do rejuntamento”, diz Chiabi em resumo dos problemas que podem provocar situações como a vivida por Flávia.

Além disso, outros matérias podem estourar com a variação de temperatura. “Toda vez que tiver uma dilatação diferenciada, ou seja, como os materiais de construção são diferentes, cada um dilata ou contrai de maneira diferente. Então estando em contato os dois quando um dilata mais ou contrai mais que o outro, há essa possibilidade de soltura”, conta ele.

Mãos à obra

Após todo o susto, Flávia conta que teve que arrumar a bagunça deixada pelo “espírito do vento quente”. “Primeiro a gente tirou, eu, minha mãe e meu irmão, a gente tirou todos os cacos de piso que ficaram no chão. Chamamos os pedreiros e eles vieram, analisaram para ver qual que era o problema, era esse o problema. Trocaram todos os pisos, demorou uns quatro dias para fazer, foi um trabalho”, lembra.

Ao compartilhar o vídeo, a fotógrafa conta que não pretendia viralizar na internet. “Não esperava, porque isso aconteceu faz um mês, mais ou menos. Eu guardei o vídeo e resolvi postar, achei engraçado, no vídeo eu tô rindo de desespero. Resolvi postar, mas não imaginava que viria essa repercussão toda. Eu tô feliz com tudo isso. Muita gente me mandando mensagem legal. É bom também pra eu conseguir repercutir mais o meu Instagram profissional. Tudo isso vai me ajudar muito, eu acredito”, finaliza.

VEJA VÍDEO:

Edição: Roberth Costa / BH-AZ / por Giulia Di Napoli