‘Jesus veio salvar pecadores, dos quais eu sou a pior’, diz Andressa Urach sobre conversão

-
Imagem: Reprodução / Youtube

Andressa Urach vem compartilhando seu testemunho de recuperação desde que decidiu se entregar a Jesus Cristo, e recentemente, numa live, a ex-modelo e escritora pregou sobre a Salvação através do sacrifício na cruz, e afirmou que a oração de sua mãe foi responsável por mantê-la viva.

A conversa com o jornalista Léo Dias foi franca e abrangente, e Andressa Urach deu detalhes sobre os fatos que a levaram a reavaliar a vida que levava até o episódio em que quase morreu por conta de uma infecção.

Questionada sobre sua falta de credibilidade à época, que levou muitas pessoas a questionarem se a conversão era verdadeira, a escritora não se furtou a responder: “É normal, Léo. Sabe por que? Antes de conhecer a Deus, antes de conhecer o Senhor Jesus, eu também falava. E eu entendo perfeitamente essas pessoas, porque eu dizia assim: ‘Ah, aprontou, aprontou, agora se esconde atrás da Bíblia’. Então, isso que as pessoas falam, eu falava, porque eu não conhecia a Deus”, admitiu.

“No fundo eu tinha mágoa de Deus, porque eu fui abusada sexualmente na infância. Eu pensava: ‘Onde estava Deus, que me deixou ser abusada?’. Então, eu tinha muita raiva, muito ódio no meu coração, tinha sede de vingança. Eu dizia: ‘Que Deus? Deus é o meu braço, que levanta todo dia para trabalhar’”, contou a escritora.

A entrevista no canal do portal Metrópoles também abordou a percepção da própria Andressa Urach a respeito de seu passado: “É lugar de referência, mas não de permanência. Ficou para trás, aprendi, errei, não posso mudar, me arrependo muito. Se eu pudesse mudar [o passado], eu mudava, mas não posso […] Mas eu também não posso me culpar. A culpa vem, mas eu precisei me perdoar”, desabafou.

O motivo de, ainda hoje, sentir vergonha do que ficou para trás, é, segundo a escritora, a compreensão exata do quanto estava errada: “Eu buscava a morte, bebia para esquecer, preenchia o meu vazio com coisas e pessoas. Eu bebia todos os dias. Eu cheirava cocaína todos os dias, para buscar a felicidade. Hoje eu sou feliz, não preciso de cocaína, não preciso de prostituição, não preciso do dinheiro que eu tinha”.

A recuperação

Quando Andressa Urach comentou sobre o período de internação para tratar a infecção causada pelo hidrogel injetado em suas pernas, disse que o tempo foi marcado pela conversa com Deus, admitindo seus pecados, e pedindo uma nova oportunidade.

“Meu Deus! Fiz tudo isso de errado! Não mereço, não sou digna de Deus. Eu não tinha aceitado Jesus em vida que seria o meu advogado. Jesus veio salvar os pecadores, das quais eu sou a pior. Eu sou a pior, não sou digna de Deus. Naquele momento eu não era digna d’Ele e Ele teve misericórdia de mim. Eu fui um lixo, fui podre, fui um ser humano nojento, não merecia uma segunda chance. Mas eu disse: ‘Deus, me dá uma segunda chance, deixa eu cuidar do meu filho, eu vou falar para todo mundo que o Senhor é vivo’”, testemunhou.

O momento, segundo ela, foi marcado por uma experiência sobrenatural: “Eu lembro que senti aquele perdão dentro de mim e voltei para o meu corpo. Quando eu voltei, respirei e vi espíritos ruins. Eu vi o espírito da morte, ele veio pegar a minha alma. E eu agradeço a Deus por ter visto isso, porque isso não deixa eu retornar ao que eu era”, disse, visivelmente emocionada.

O papel de sua mãe na vitória contra a infecção e todas as mazelas foi enorme, contou a escritora: “O Espírito da morte só não me levou porque a minha mãe estava orando do lado da minha cama. Uma oração salva uma pessoa. Eu passei por mais de 22 cirurgias de emergência para retirar esse produto do meu corpo. Eu gemi demais, paguei pelo o que eu fiz”.

ASSISTA ABAIXO:

Gospel+ / Tiago Chagas