Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante discussão por pastel de feira, diz polícia

-
Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante discussão por pastel de feira, em Aparecida de Goiânia — Foto: Arquivo pessoal

Uma jovem de 19 anos é suspeita de matar o namorado, Adailton Gomes, de 24 anos, com uma agulha de narguilé durante uma discussão por causa de um pastel de feira, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. O delegado Eduardo Rodovalho, que investiga o caso, disse que a vítima tinha uma pequena perfuração no peito esquerdo, que teria sido causada por esse objeto.

“Havia uma perfuração no mamilo esquerdo, causada no momento em que o casal discutia, por causa de um pastel de feira. Parece que eles saíram para comer esse pastel sem ela querer. Ela teria ficado nervosa e eles começaram a discutir. Parece que era uma relação muito imatura”, disse o delegado.

O G1 entrou em contato, por meio de mensagem, com a investigada, Nicole Maria, às 17h49, mas não obteve retorno até a última atualização da reportagem. Segundo o delegado, a jovem ainda não apresentou advogado de defesa.

Para a Polícia Civil, ela disse que o namorado havia ido para cima dela com um narguilé quebrado e, para se defender, acabou o atingindo com a agulha, que é usada para furar o papel alumínio que encobre o carvão e, assim, ocorrer a liberação de calor para aquecer a essência do narguilé.

A jovem disse ainda aos policiais que ficou desesperada na hora, pois não “esperava isso”. “Foi em um momento em que o casal discutia. Ele estava com o narguilé quebrado, foi para cima da investigada, sua companheira. Houve uma reação, ela pegou uma outra parte desse narguilé e teve a perfuração. Ele já caiu e ela ficou desesperada”, conta o delegado.

Investigação

A morte aconteceu na tarde de sexta-feira (18), na casa da suspeita, no Setor Village Garavelo. De acordo com a polícia, inicialmente, havia uma suspeita de que o namorado teria passado mal e sofrido um infarto. Porém, depois, a equipe notou a perfuração.

O delegado explicou que o ferimento no peito do companheiro era mínimo e que aguarda conclusão do laudo cadavérico, que deve ficar pronto nesta semana, para confirmar a causa da morte.

“Foi um orifício muito pequeno no mamilo. Se realmente for essa a causa da morte, vai ter sido uma fatalidade absurda. Ele caiu de barriga no chão. Pessoal [agentes] pensou que foi uma morte súbita. Após o golpe ele caiu agonizando, mas ainda não temos uma conclusão”, disse o delegado

O investigador informou que a suspeita se apresentou, sem advogado, à Polícia Civil. Como estava fora do período de flagrante, ela não foi presa.

O caso segue sendo investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios, que deve ouvir mais testemunhas nesta semana. Só após conclusão do inquérito será decidido se a jovem será responsabilizada e por quais crimes ela poderá responder.

Família pede justiça
A mãe da vítima, Maria das Graças de Abreu, 46 anos, disse ao G1 que o casal passava maior parte do dia na casa dela, também em Aparecida de Goiânia. Ela disse que Adailton havia ido na manhã do ocorrido à feira com a namorada e as duas irmãs. Após isso, a mulher conta que o filho voltou à casa da suspeita para buscar a chave da moto que teria esquecido.

“Depois que chegaram da feira, ele foi com as irmãs, de 13 e 16 anos, na casa dela. As meninas ficaram na calçada enquanto ele entrou para pegar a chave. Elas contaram que, depois, a namorada dele saiu correndo gritando que ele estava morrendo, entrou em um carro e saiu”, disse a mãe de Adailton.

Maria pede que a justiça seja feita. Ela disse ainda que, após o acontecimento, a companheira do filho se mudou do local em que morava e não entrou mais em contato com a família.

“Ela se mudou enquanto eu velava meu filho. Quero justiça. Ela tirou um pedaço de mim. Não podia”, disse a mãe do jovem. (G1)