Local da Arca de Noé pode ter sido encontrado após varreduras em montanha na Turquia

Foto: Reprodução

Pesquisadores bíblicos estudam uma formação com formato de barco na Turquia e dizem que novos dados permitem considerar que a estrutura, antes considerada como uma anomalia geológica, possa ser uma estrutura construída pelo homem que se assemelha à descrição bíblica da Arca de Noé.

Investigadores americanos e turcos anunciaram que varreduras iniciais com escaners são promissoras e sugerem um objeto feito pelo homem pode estar enterrado na montanha, e se mantém esperançosos de que possa ser a Arca.

Criacionistas há muito afirmam que o navio construído por Noé é real, e muitos estudiosos apontam que ele possa estar enterrado sob o local rochoso, conhecido como Durupınar, no leste da Turquia.

Os geólogos, por outro lado, afirmam que a protuberância montanhosa, descoberta há meio século, no leste da Turquia, é simplesmente uma formação rochosa incomum, segundo informações do portal britânico The Sun.

Entretanto, a equipe liderada pelo caçador arqueológico Andrew Jones acredita possuir imagens do que se assemelha à Arca de Noé, obtidas com um equipamento capaz de escanear através do solo.

As pesquisas de radar de penetração no solo (GPR) foram conduzidas no local pela Topa 3D, empresa sediada em Oregon, cujos especialistas ficaram surpresos com os resultados: “Isso não é o que você esperaria ver se este sítio fosse apenas um bloco sólido de rocha ou um acúmulo de detritos aleatórios de um fluxo de lama”, declarou Jones.

“Mas esses resultados são o que você esperaria ver se este fosse um barco feito pelo homem que atendesse aos requisitos bíblicos da Arca de Noé”, acrescentou o pesquisador.

Embora exista clara empolgação com a descoberta, feita pelo projeto Noah’s Ark Scans, o relatório evita cravar que a “anomalia” seja realmente a embarcação descrita no Antigo Testamento, apesar de reiterar que as “linhas paralelas e ângulos retos abaixo da superfície”, são “algo que você não esperaria ver em uma formação geológica natural”.

A “formação do barco” também tem o “comprimento exato” da arca descrita na Bíblia, que é cerca de 150 metros, ou 300 côvados em termos bíblicos.

O local

No livro do Gênesis, as montanhas de Ararate, no que hoje é o leste da Turquia, são a região em que a Arca de Noé repousa após o Grande Dilúvio, que fica perto do Monte Tendürek.

O local foi descoberto originalmente em 1959 pelo capitão do exército turco Ilhan Durupinar, que percebeu a formação do barco em fotografias aéreas da área pelos militares.

Sua descoberta resultou em um breve período de interesse internacional pela área em Durupinar, que mais tarde foi visitada pessoalmente pelo polêmico pesquisador Ron Wyatt nas décadas de 1970 a 1990, que dizia ser aquele o local onde a Arca de Noé estaria desde o fim do dilúvio.

Sua convicção levou outros pesquisadores, arqueólogos e cientistas a examinarem a formação, e em 2017 houve a divulgação de relatórios apontando conclusões semelhantes.

A nova equipe se vangloria de que suas descobertas devem forçar uma reconsideração do sítio arqueológico há muito tempo descartado pelos céticos, e com mais varreduras no local, seguidas de perfurações e escavações, esperam chegar a conclusões mais abrangentes.