Mais de 200 mil baianos já utilizam o app Preço da Hora Bahia

-
Foto: Preço da Hora Bahia

Em ritmo crescente de utilização em todo o estado, o aplicativo Preço da Hora Bahia já foi baixado por mais de 200 mil baianos, dos quais nada menos que 100 mil aderiram nos últimos doze dias. O app, que permite ao usuário encontrar o produto mais barato em sua região, foi lançado no dia 11 de abril pelo governador Rui Costa. Com base nas mais de 3,2 milhões de notas fiscais eletrônicas emitidas diariamente em todo o Estado e armazenadas na Secretaria da Fazenda (Sefaz-Ba), o Preço da Hora  Bahia mostra em tempo real as cotações para mais de 500 mil produtos. Basta digitar o nome do produto ou fazer a leitura do código de barras impresso na embalagem.

“Temos recebido muitas manifestações positivas de pessoas que baixaram o aplicativo e nos contam que estão efetivamente conseguindo economizar”, afirma o secretário da Fazenda do Estado, Manoel Vitório. Disponível para celulares Android e iOS e na página web precodahora.ba.gov.br, o aplicativo faz as cotações em tempo real. Basta digitar o nome do produto ou fazer a leitura do código de barras impresso na embalagem. Os preços são pesquisados com auxílio da geolocalização, em um raio definido pelo usuário, que pode variar entre um e 30 quilômetros de distância.

Atrativos

Entre os atrativos oferecidos aos usuários pelo Preço da Hora Bahia, estão pesquisar preços sem sair de casa, ter acesso aos telefones, endereços e rotas para os estabelecimentos com as opções mais em conta, fazer listas de cotações para até 40 itens,  obtendo os cinco melhores preços na cidade, e acompanhar o histórico do preço da maioria do produtos, além de poder visualizar em um mapa os três estabelecimentos com os preços mais baixos na região delimitada pelo usuário.

Peça sempre a nota

As informações têm como fonte exclusiva as notas fiscais armazenadas na Sefaz-Ba, lembra o secretário Manoel Vitório, “o que reforça a importância de se pedir a nota fiscal em todas as compras”. Com o Preço da Hora Bahia, enfatiza, “cada usuário economiza, e todos ganham”. A necessidade de se pedir a nota a cada compra é enfatizada também pelo superintendente do Procon-Ba, Filipe Vieira.  “O consumidor deve pedir sempre a nota fiscal, tanto para ter a garantia do produto adquirido, como também para alimentar o sistema, que ele vai poder usar de novo, atualizado a cada nova compra. Quem utilizar o Preço da Hora Bahia certamente vai fazer uma boa compra”, avalia.

A julgar pela rapidez com que o aplicativo se dissemina, os baianos de todas as regiões estão cientes do potencial do Preço da Hora Bahia.  Do total de usuários,  104 mil estão em Salvador, e os demais, que correspondem a quase 50%, estão distribuídos por todo o interior do Estado, observa o superintendente de Desenvolvimento da Gestão da Sefaz-Ba,  Félix Mascarenhas. “Este é um importante índice de adesão ao aplicativo”, ressalta.

Vendas com desconto

O diretor de Produção de Informações da Sefaz-Ba, Jadson Bitencourt, alerta para a principal dúvida trazida pelos usuários do Preço da Hora Bahia: os produtos com preços muito abaixo da média. Ele esclarece que os preços são obtidos das informações de notas já emitidas, e que o estabelecimento não é obrigado a garantir um valor que tenha sido praticado em promoção ou situações como vendas a usuários fidelizados, descontos por pagamento à vista, promoções-relâmpago, entre outras.

“O Preço da Hora Bahia exibe o preço praticado e o eventual desconto concedido. Por esta razão, principalmente quando encontrar preços muito menores que os de costume, o consumidor deve ligar para a loja e confirmar se o preço permanece o mesmo”. Isto pode ser feito, explica Jadson, diretamente do aplicativo, que exibe o telefone informado pelo estabelecimento na nota fiscal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui