Medina é eliminado de forma polêmica e se complica no Mundial de surfe

0
115
-
Medina segue na liderança, mas tem Filipe Toledo e Ítalo Ferreira na cola (Morgan Hancock/Getty Images)

O que poderia ser um fim de semana de sonho para Gabriel Medina terminou em revolta. O atual campeão e líder da temporada não só perdeu a chance de conquistar seu terceiro título da Word Surf League (WSL), o Mundial de surfe, com uma etapa de antecedência, como se complicou na disputa pelo título.

Devido a uma punição por interferência, Medina foi eliminado nas oitavas de final da etapa de Peniche, em Portugal, pelo compatriota Caio Ibelli. Em seguida, recorreu às redes sociais para protestar. Com sua eliminação precoce, a definição do título da temporada 2019 ficará para o Pipe Masters, no Havaí, o último evento do campeonato.

- Anúncio -

Filipe Toledo, o segundo colocado, passou de fase, assim como Ítalo Ferreira, o quarto colocado. Com isso, Medina tem também ameaçada a presença na Olimpíada de Tóquio – há um limite de duas vagas por país nos Jogos de 2020, desde que ambos terminem a temporada 2019 do Circuito Mundial entre os dez primeiros colocados..

Medina liderava com folga a disputa com Caio Ibelli neste domingo, mas foi punido por interferência, e acabou perdendo por 8,50 a 8,17. O atual campeão se disse injustiçado e disse ter esperanças de que a decisão seja reavaliada.

“Gostaria de explicar o que aconteceu na minha bateria. Eu e Caio pegamos a mesma onda e cada um foi para um lado. A minha onda foi mais curta e a dele foi mais longa. Tanto que enquanto eu voltava para o outside, ele ainda estava surfando a onda dele. Quando cheguei no fundo, tinha tanta certeza que a prioridade era minha que não olhei para a placa de prioridade. Para minha surpresa, quando veio a onda seguinte, acabei indo porque estava seguro que a prioridade era minha. Acabei levando a interferência”, escreveu Medina.

“Quando saí da água fui falar com os juizes. Olhamos as imagens abertas, de nós dois voltando remando para o fundo, com um angulo da câmera aberto. Ficou bem claro que eu cheguei bem antes. E mesmo que eu tivesse chegado junto com ele e tivesse um empate, a prioridade seria minha pela regra. Porque na onda que surfamos juntos antes, o Caio tinha a prioridade 1. Tenho a esperança que a minha bateria seja reavaliada pois ocorreu um erro.

A WSL não se manifestou sobre o pedido de reavaliação de Medina. Nas quartas de final, Ibelli terá pela frente Peterson Crisanto, que derrotou o também brasileiro Jesse Mendes por 14,34 a 12,46.

Em sua bateria, Filipe Toledo superou o australiano Wade Carmichael por 14,60 a 9,27 e agora terá pela frente o japonês Kanoa Igarashi nas quartas de final. Italo Ferreira derrotou o americano Conner Coffin por 13,83 a 10,83. E seu próximo oponente será o australiano Jack Freestone.

*Veja (com Estadão Conteúdo)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui