Nove meses após casas desabarem com queda de rodovia na BA-046, moradores de S. A. de Jesus seguem sem respostas

0
138
-
Em dezembro de 2018, parte da pista cedeu após um deslizamento de terra. Foto: Divulgação/ Voz da Bahia

Os moradores das casas que desabaram com a queda de parte da BA-046, na cidade de Santo Antônio de Jesus, no recôncavo da Bahia, seguem sem respostas das autoridades nove meses após a situação.

O desmoronamento dos imóveis ocorreu em dezembro do ano passado. Na época, duas casas caíram e outras foram interditadas, junto com parte da pista, que teve o trânsito desviado por dentro da cidade.

- Anúncio -

Na época, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) informou que o problema foi provocado pelo lançamento de esgoto clandestino no local e pela pressão da água da chuva.

Os moradores afetados pelo problema foram incluídos no sistema de aluguel solidário, no entanto, o benefício acaba em dezembro e as famílias ainda não sabem o que vai acontecer a partir do ano que vem.

“Foi um desespero, porque eu estava lavando roupa no momento, meu marido tava almoçando e meu filho se arrumando para a escola. Quando a gente viu, estava tudo desabando. Nós tivemos que sair às pressas. O pessoal que estava passando que ajudou, mas mesmo assim quebrou tudo. Foi um sufoco”, contou a vendedora Marinalva Sátiro.

“A vida da gente se transformou. Está tudo de pernas para o ar. Porque nós não temos respostas de nada. Não sabemos se a gente vai voltar para aqui ainda, porque a pista está certo ser consertada, mas nossas casas, até hoje, ninguém deixou certo o que vai fazer”, completou.

Os moradores das casas que desabaram com a queda de parte da BA-046, na cidade de Santo Antônio de Jesus, no recôncavo da Bahia, seguem sem respostas das autoridades nove meses após a situação.

O desmoronamento dos imóveis ocorreu em dezembro do ano passado. Na época, duas casas caíram e outras foram interditadas, junto com parte da pista, que teve o trânsito desviado por dentro da cidade.

Na época, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) informou que o problema foi provocado pelo lançamento de esgoto clandestino no local e pela pressão da água da chuva.

Os moradores afetados pelo problema foram incluídos no sistema de aluguel solidário, no entanto, o benefício acaba em dezembro e as famílias ainda não sabem o que vai acontecer a partir do ano que vem.

“Foi um desespero, porque eu estava lavando roupa no momento, meu marido tava almoçando e meu filho se arrumando para a escola. Quando a gente viu, estava tudo desabando. Nós tivemos que sair às pressas. O pessoal que estava passando que ajudou, mas mesmo assim quebrou tudo. Foi um sufoco”, contou a vendedora Marinalva Sátiro.

“A vida da gente se transformou. Está tudo de pernas para o ar. Porque nós não temos respostas de nada. Não sabemos se a gente vai voltar para aqui ainda, porque a pista está certo ser consertada, mas nossas casas, até hoje, ninguém deixou certo o que vai fazer”, completou. (G1 Bahia/TV Subaé)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui