Paramédicos judeu e muçulmano oram juntos e emocionam: coronavírus

-
Mintz, judeu religioso, em pé voltado para Jerusalém e Abu Jama, muçulmano, ajoelhou-se no tapete voltado para Meca Foto: Mohamd Alnbare/Magen David Adom

Uma cena rara e emocionante mostra representantes de dois povos unidos em oração: são dois paramédicos, um judeu e outro muçulmano, juntos durante o trabalho no combate ao novo coronavírus. O encontro faz parte da trégua “milagrosa”que mostramos no Só Noticia Boa.

Avraham Mintz e Zoher Abu Jama tinham acabado de responder a uma ligação de uma mulher de 41 anos com problemas respiratórios na cidade de Be’er Sheva, no sul de Israel.

Em meio ao trabalho, havia um homem de 77 anos e mais ligações pela frente. No fim da tarde, Mintz e Abu Jama perceberam que talvez fosse o único intervalo do turno e os dois integrantes do Magen David Adom (MDA), serviço de resposta a emergências de Israel, fizeram uma pausa para orar.

Jerusalém e Meca

Mintz, um judeu religioso, estava de pé em frente a Jerusalém, com seu xale branco e preto pendurado nos ombros.

Abu Jama, muçulmano, ajoelhou-se diante de Meca com seu tapete marrom e branco de oração, desenrolado debaixo dele.

Para os dois paramédicos, que rotineiramente trabalham juntos duas ou três vezes por semana desde a pandemia, a oração conjunta não era novidade. Mas, a imagem está inspirando o mundo em meio ao caos.

Viral

Uma foto dos dois homens tirada por um colega de trabalho rapidamente se tornou viral, conquistou milhares de curtidas nas mídias sociais e apareceu na cobertura da mídia internacional.

Um usuário respondeu no Instagram:

“Tenho orgulho de todos os serviços de resgate, não importa de que comunidade ou religião.”

No Twitter, outro usuário disse: “Uma luta! Uma vitória! Vamos nos unir”.

“O fato de ser simples o torna tão poderoso. Acredito que Zoher, eu e a maioria do mundo entendemos que temos que levantar a cabeça e orar. Isso é tudo o que resta”, disse Mintz à CNN.

História dos dois

Pai de nove filhos, ele mora em Be’er Sheva, tem 42 anos e trabalha em período integral no MDA. Lá, Mintz treina voluntários.

Abu Jama, pai de sete filhos da cidade beduína de Rahat, nas proximidades, foi um desses voluntários.

Ele deixou seu emprego como instrutor de direção para ajudar o máximo possível agora.

“Em termos de crença e personalidade, acreditamos nas mesmas coisas e temos algo em comum”, disse à CNN.

“Acredito que ele é uma pessoa que dá e recebe o sentimento de honra e isso é importante”.

Trégua

A pandemia, que provocou uma trégua no Oriente Médio, uniu na semana passada na mesma mesa, palestinos e israelenses, um encontro pacífico que há anos nações e entidades do mundo todo buscavam, sem sucesso.

Juntos, representantes dos dois lados criaram um gabinete comum de operações para combater pandemia , conforme divulgamos esta semana.

Pausa pra orar

Em Israel, as equipes da MDA atenderam 100.000 ligações nos dias de pico, mais de 10 vezes o volume normal, de acordo com Zaki Heller, porta-voz da entidade.

O diretor-geral da MDA, Eli Bin, ficou orgulhoso ao falar sobre sua equipe, composta por 2.500 funcionários em período integral e 25.000 voluntários.

“As pessoas do MDA estão enfrentando o vírus, olhando nos olhos. Os trabalhadores do MDA estão trabalhando com as mãos, luvas e máscaras”, disse ele à CNN.

“Nós somos os heróis de Israel. Todo mundo tem medo do vírus… Nós também somos, mas temos a crença de que tudo está sob o controle de Deus, que Deus seja abençoado. Nós dois acreditamos nisso”, disse Mintz.

Abu Jama faz eco de seu parceiro: “Acredito que Deus nos ajudará e passaremos por isso. Todos devemos orar a Deus para nos superar e passaremos por esta crise mundial.”

Os dois oraram por cerca de 15 minutos, então voltaram à ambulância e ao trabalho.

Com informações da CNN Brasil – via Só Notícia Boa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui