Pesquisa revela hábitos dos homens brasileiros na vida sexual e pessoal

Foto: reprodução / Dino

Uma pesquisa realizada pela Omens, uma plataforma recente focada na saúde sexual dos homens, em parceria com o Instituto Datafolha, em setembro de 2020 e divulgada agora, revelou diversos aspectos da vida sexual dos brasileiros. Realizada por meio de um questionário, com 1.813 homens de todo o Brasil, a pesquisa buscava entender a vida sexual desses homens, para identificar a presença de disfunções sexuais, como a disfunção erétil, e o cenário da saúde sexual masculina no Brasil.

A pesquisa teve como foco os 86% dos respondentes que declararam ter tido alguma relação sexual nos últimos 24 meses, e foi possível identificar que mais de um a cada três brasileiros (38%) afirmou ter enfrentado algum problema de disfunção erétil. Além disso, a dificuldade de controlar a ejaculação também foi algo recorrente, tendo sido enfrentada por 48% destes.

Além dos dados inicialmente buscados, a pesquisa revelou outros aspectos da vida sexual destes brasileiros. No geral, 64% da população da pesquisa têm relações ao menos uma vez por semana, um número que foi alto, de acordo com João Brunhara, médico urologista e consultor técnico-científico da Omens: “Este número é alto se formos comparar com um estudo americano recente em que mais ou menos 40% dos homens tinham essa frequência sexual”. Além disso, se mostrou mais inesperado quando visto que 15% dos entrevistados afirmam ter relações sexuais todos os dias.

Em relação à satisfação sexual, 57% dos homens afirmaram que aumentou durante a pandemia até então, muito diferente de países como Reino Unido e Itália, onde houve pioras. Dado interessante, a pesquisa também mostrou que 37% dos homens com problema de ereção fazem uso de aplicativos e sites de encontro (contra 25% dos homens sem disfunção erétil). 

Apesar de ter como motivação inicial o entendimento do cenário dos problemas sexuais, especialmente da disfunção erétil nos homens brasileiros, a pesquisa tornou possíveis diversos outros entendimentos sobre os comportamentos destes homens, não só em sua vida sexual, mas também em suas vidas pessoais e digitais, como pode ser visto na íntegra da pesquisa sobre os problemas de ereção. (Ibahia)