PMs envolvidos na morte do espanhol Márcio Pérez, em Salvador, voltam a ser presos

0
160
-Márcio Pérez foi morto durante ação policial em Salvador — Foto: Reprodução/Facebook
Márcio Pérez foi morto durante ação policial em Salvador — Foto: Reprodução/Facebook

Os dois policiais militares envolvidos na morte do empresário espanhol Márcio Pérez, de 42 anos, baleado durante uma perseguição policial, voltaram a ser presos na sexta-feira (6), em Salvador. A informação foi divulgada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), nesta terça-feira (10).

Maurício Correia dos Santos e Saulo Reis Queiroz chegaram a ser presos em dezembro do ano passado, mas tiveram prisão revogada pela Justiça em maio deste ano.

Segundo informações do MP, os mandados de prisões preventivas dos policiais foram expedidos pela Justiça, após o órgão recorrer da decisão judicial de primeira instância que havia revogado a prisão dos denunciados.

De acordo com o Ministério Público, os desembargadores consideraram que os argumentos apresentados na decisão de primeira instância não sustentam a revogação da prisão.

O G1 entrou em contato com o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) para saber sobre o andamento do processo, e também com a Polícia Militar para atualizar as informações sobre investigações da Corregedoria da PM, e aguarda retorno.

Caso

No local, carro mostrava perfuração de bala no encosto da cabeça do motorista — Foto: Jony Torres/TV Bahia
No local, carro mostrava perfuração de bala no encosto da cabeça do motorista — Foto: Jony Torres/TV Bahia

O espanhol Márcio Perez foi morto a tiros quando chegava na casa dele, de carro, acompanhado de uma amiga, no dia 19 de setembro do ano passado. O empresário tentou escapar dos disparos efetuados pelos policiais ao continuar dirigindo, mas foi perseguido pelos PMs e atingido na nuca, quando passava pela Rua Simon Bolívar, na região do antigo Centro de Convenções.

Ferido, Márcio perdeu o controle carro capotou e bateu em uma árvore. O veículo acabou em cima de um canteiro, ficou com várias marcas de perfuração por arma de fogo, inclusive na região do encosto da cabeça, no assento do motorista.

Na época do crime, os militares relataram apenas que as vítimas tinham sofrido um acidente de trânsito. Somente depois, os médicos que atenderam Márcio descobriram que ele havia sido baleado.

Os policiais envolvidos na ação alegaram, em depoimento, que estariam perseguindo criminosos e acabaram se deparando com o carro de Márcio, que teria as mesmas características do veículo dos bandidos. Os militares pertenciam à companhia de Cosme de Farias, mas o advogado de defesa disse que, no dia, eles estavam prestando serviço na região do Imbuí.

O corpo de Márcio foi velado em Salvador e levado à cidade de Ponte Caldelas, na província de Pontevedra, na Espanha, onde ele nasceu, para ser sepultado. A cerimônia ocorreu no dia 25 de setembro de 2018.

Em janeiro deste ano, o Ministério Público do Estado da Bahia ofereceu denúncia contra os militares Maurício Correia dos Santos e Saulo Reis Queiroz, por homicídio qualificado, além da tentativa de homicídio contra uma mulher que estava no carro junto com Márcio. (G1/Ba)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui