Policiais civis e penais apontam greve caso governo não altere a PEC da Previdência

-
Divulgação

As policiais civis e penais apontaram insatisfações com a PEC 159/2020 (Proposta de Emenda à Constituição) durante uma assembleia, na manhã desta terça-feira (21), na sede do Sindpojud, localizado no bairro de Nazaré. Segundo o vice-presidente do Sindicato da Polícia Civil (Sindpoc), Diego Messias, caso o governo não altere o texto as categorias entrarão em greve. 

“Já estamos em estado indicativo de greve, caso o governo não aceite nossas reivindicações faremos outra assembleia para ratificar e entraremos em greve”, disse. 

Além disso, o porta-voz da categoria ainda comparou a Civil com a Polícia Militar (PM): “nós estamos acreditando na sensibilidade do governo, justamente por se tratar de profissionais que se expõem ao risco tanto quanto a Polícia Militar, mas caso o governo não se mostre sensível as nossas pautas aí sim nós realizaremos outra assembleia para decretar a greve”.  

Ao BNews, os policiais civis e os penais destacaram suas exigências: paridade; integralidade da remuneração, após a aposentadoria; a pensão integral; redução do pedágio; e tempo especial para aposentadoria. “No caso da pensão, caso o policial venha a óbito, queremos que à pensionista receba integral e não fracionada como o governo quer de 60% e mais 10% para cada dependente. Além disso, a redução do pedágio, porque o governo quer impor 50% e acaba fragilizando a categoria, e a aposentadoria que nós queremos que o tempo mínimo seja de 20 anos”, explicou Diego.  (BNews)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui