Recém-nascidos não podem ficar mais de uma hora seguida no bebê conforto

0
240
-Foto: Sharon McCutcheon/Unsplash
Foto: Sharon McCutcheon/Unsplash

O bebê conforto é um dispositivo importante para garantir a segurança dos pequenos durante viagens de carro. O problema é que, se usado por um longo período, especialmente para dormir, pode oferecer riscos aos bebês com poucos meses de vida. Ele entra na lista de locais onde o recém-nascido não deve dormir, junto com carrinhos de passeio e outros tipos de assentos inclinados. A Associação Americana de Pediatria emitiu um alerta sobre o assunto no mês passado, quando a Fisher-Price anunciou o recall de sua cadeira de ninar, ligada a morte de 32 bebês nos Estados Unidos. O problema de dispositivos do tipo é que eles restringem o movimento dos bebês. No texto, a entidade afirma que “contraindica o uso de carrinhos de bebê, assentos de carro e outros tipos de dispositivo para o sono, pelo risco de que o bebê role ou fique preso em uma posição que leve ao risco de sufocamento ou asfixia”. A principal preocupação é a síndrome da morte súbita infantil, que ocorre principalmente durante o sono, nos seis primeiros meses de vida. No ano passado, os ingleses Kirsti e Christopher Clark tomaram um susto ao ver que a filha recém-nascida Harper começou a ter convulsões e ficar com a pele azulada depois de duas horas parada no assento especial. O casal correu para o pronto-socorro e a menina, com três semanas de idade à época, foi atendida em tempo pelos médicos. Ela ficou bem, mas sofreu uma séria privação de oxigênio, que pode, em última instância ser fatal.

“O bebê conforto não foi feito para a criança permanecer por muito tempo, ainda mais no primeiro mês de vida, quando ela ainda não tem sustentação do pescoço”, comenta Nelson Douglas Ejzenbaum, pediatra membro da Sociedade Brasileira de Pediatria. Um estudo publicado em 2016 pela Universidade Bristol, na Inglaterra, mostrou que um tempo de estrada superior a meia hora já pode fazer com que bebês recém-nascidos apresentem dificuldades para respirar e aumento na frequência dos batimentos cardíacos.

Inclinação é o problema

Manter o pequeno dormindo em equipamentos que impeçam sua movimentação, em especial os com assento inclinado, é perigoso porque o bebê pode acabar preso em uma posição em que não consiga respirar direito. A maneira mais segura para o bebê dormir é de barriga para cima, em uma superfície plana e lisa, sem obstáculos como travesseiros, cobertas ou almofadas do tipo “segura-bebê”, que já foram até banidas das lojas nos Estados Unidos.

Em viagens mais longas do que uma hora, portanto, o ideal é, de vez em quando, parar o veículo e tirar a criança do assento. “Depois dos três meses, ele já consegue sustentar a coluna e, assim, ficar períodos mais longos no bebê conforto, mas sempre com supervisão”, orienta Nelson. (Bebê Abril)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui