SAJ: Diretor do hospital Incar reforça a necessidade de pesquisas científicas para provar o uso da ivermectina na prevenção da Covid

-
Foto: Reprodução / Voz da Bahia

Nesta segunda-feira (06) o médico cardiologista Dr. Arthur Gonzales, um dos diretores do Hospital Incar em Santo Antônio de Jesus, esteve no Programa Meio-Dia e Meia na Live do Voz da Bahia e tratou de diversos assuntos entre ele o polêmico uso da Ivermectina para prevenção e tratamento do novo coronavírus.

Segundo o médico, o mesmo não tem uma opinião formada sobre o assunto, “eu não sou um cientista, não sou um produtor de trabalho científico. O que se sabe na verdade sem nenhuma dúvida, é que não há nenhuma evidência científica no momento que o uso da ivermectina nem tratamento, nem e profilaxia (prevenção), tem algum efeito. Na verdade isso foi bem documentado pela Sociedade Brasileira de Infectologia e pela Sociedade Brasileira de Pneumologia, passando para todos os médicos evitar essa prescrição.

Dr. Arthur ainda explica que qualquer médico tem o livre arbítrio de prescrever qualquer medicamento, porém, é preciso alertar os pacientes quanto aos efeitos colaterais, “esse risco precisa ser compartilhado com o paciente, pois ele precisa entender e saber. É direito do médico também não querer prescrever, porque se ele não acredita naquilo, ele não tem obrigação de prescrever. Essas opiniões pessoais estão fazendo muito mal a medicina brasileira. Opiniões pessoais sem evidências, baseadas em experiências individuais de cada médico, de cada paciente, de cada vizinho e de cada fofoqueira”, relata.

O cardiologista reforça que é preciso o consenso de especialistas sobre o assunto, além de pesquisas científicas, “na minha humildade, no meu não saber tudo e no meu não querer ser Deus, eu me reservo ao papel de individualizar cada tratamento”, esclareceu.

Reportagem: Voz da Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui