Salvador: Idoso conta detalhes de ação de assaltantes que invadiram sua residência no Itaigara; confira

Joilson César/BNews

O que era para ser uma noite tranquila de descanso, se transformou em momentos de trauma e desespero para o casal de idosos que mora na Rua Professora Zahidé Machado Neto, próximo ao Colégio São Paulo, no Itaigara, em Salvador. Ao BNews, uma das vítimas de 77 anos, Luiz Sanjuan, relatou toda ação do trio que invadiu sua residência, o fez de refém e saqueou diversos pertences de valor, na noite desta terça-feira (17).

“Um ficou com minha esposa, o outro me levou para parte superior, mandou sentar na cama e o terceiro começou a vasculhar a casa inteira. Eu moro aqui há vinte e dois anos. Nunca, nunca teve nada de longe parecido”, relatou seu Luiz.

O idoso estava preparando um sanduiche para comer e logo depois iria deitar quando foi surpreendido pelos três assaltantes invadindo a sua residência. À reportagem, seu Luiz disse que um deles estava com uma peixeira e o outro, aparentemente, com revólver.

Na ocasião, um dos suspeitos rendeu a esposa do idoso, de 70 anos, o outro fez seu Luiz de refém e o terceiro saqueou os pertences da casa. “Eles levaram notebook, vasculharam os celulares que existiam inativos ou ativos todos, notebook da mesma forma, relógios, algumas bebidas de uísque que aqui é uma coleção, tudo de valor”, relembrou.

Em nota a Polícia Militar da Bahia informou que policiais da 35ª CIPM foram acionados para averiguar uma denúncia de roubo a residência, na Rua Zahidé, bairro do Itaigara. “De imediato, as guarnições deslocaram para o local e constataram o fato”, disse a nota. Contudo, afirmou que nenhum suspeito foi localizado.

A Polícia Civil investigará o caso.

Outros casos de violência no Itaigara
Vale ressaltar que antes dessa invasão, no dia 4 de fevereiro, o idoso vivenciou mais um cenário de violência na porta de casa. Segundo ele, assaltantes levaram o carro no momento em que estacionava na garagem da sua residência. “Meu carro foi levado quando eu entrava na garagem por volta de umas 18h. De dezembro, janeiro desse ano a violência com furto de automóveis, assaltos, tudo tem ocorrido bastante”, concluiu.

O que confirmou a filha de uma moradora da mesma rua de seu Luiz, a fisioterapeuta e empresária, Maria da Conceição. “Está tendo vários casos de assaltos aqui há pelo menos uns seis meses que deve ter piorado a situação”, contou.

De acordo com a empresária, os moradores estão buscando alternativas para diminuir a insegurança. “Todo mundo está recluso em casa com medo de sair e ser abordado. Agora já está se falando de segurança particular, com portões fechando ruas”, disse Maria.

Além disso, a mulher também relatou que os moradores passaram a avisar quando estiverem chegando em casa para que outra pessoa abra a garagem, com intuito de reduzir o tempo na rua ao estacionar o carro.

“É uma situação de pânico e constrangedora”, finalizou.