Salvador tem previsão de mais chuva pelo menos até sábado

Foto: Paula Fróes/Correio

Por conta dos estragos causados pelas fortes chuvas que ocorreram nesta quinta-feira (8), em Salvador, Eliene, de 48 anos, que está desempregada, viu sua casa, que ela mesma ajudou a levantar, destruída. No imóvel, que fica na Rua Gildelia Santos, no bairro de Novo Marotinho, moravam a filha, Evelyn, o genro, Bruce, e o neto Ravi, de apenas 1 ano. Os três estavam em casa quando perceberam os sinais de desabamento por volta das 6h e conseguiram correr. Ninguém ficou ferido.   

“Eles estavam dormindo. Aí meu genro acordou e viu as rachaduras na parede. Foi o tempo dele pegar o menino e correr. Quando saiu, a casa veio abaixo, foi questão de segundos”, contou Eliene, emocionada. A família morava na casa há cerca de 1 ano e 5 meses e agora está abrigada em um imóvel cedido por voluntários no bairro de São Caetano.  

A correnteza, vinda de uma escadaria próxima ao imóvel, atingiu um muro que provocou o desabamento parcial da casa. O cômodo mais atingido foi o quarto de Ravi. O berço da criança, que estava vazio no momento do incidente, foi rachado ao meio. “Graças a Deus ele estava com a mãe na cama bem na hora. E a gente mudou a posição do quarto recentemente porque era mais ventilado. Se não fosse isso, teriam morrido os três”, relatou a avó de Ravi. (Correio)