Sem isolamento, mortes chegarão a 5 mil por dia, projeta diretor do Butantan

Foto: Reprodução/Twitter/UOL

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, estima que as mortes por Covid19-19 no país poderão chegar a 5.000 por dia se medidas mais drásticas de isolamento social não forem tomadas.

Em entrevista ao Valor Econômico, ele vê de forma cética as expectativas do Ministério da Saúde sobre a aquisição de vacinas de vários laboratórios até o fim do ano. Covas explicou que terão que dividir esforços com a vacina da gripe neste mês de abril. Por isso, a produção de doses entregues contra a covid-19 deve ser de 10 milhões — menos que a metade que foi entregue em março.

Em maio, entra em operação a segunda fábrica da Sinovac na China, o que pode resultar em uma aceleração na chegada de matéria-prima ao Butantan.

O diretor do instituto afirma que há o planejamento para iniciar a operação a fábrica da Coronavac no Butantan em janeiro do ano que vem. Isso faria com que o Brasil tivesse a própria produção de IFA, utilizado para a fabricação das vacinas. Segundo ele, o país tem como plano B a Butanvac, vacina que está sendo desenvolvida pelo Instituto com ajuda da Escola de Medicina Icahn do Instituto Mount Sinai, nos Estados Unidos. (bahia.ba)