‘Somos contra qualquer tipo de assédio’, diz Marta, após protesto da seleção feminina

Foto: Reprodução / TV Globo

Maior jogadora da história do futebol feminino, Marta se posicionou, nesta sexta-feira (11), sobre o protesto realizado pelas jogadoras contra a prática de assédio. Antes da partida contra a Rússia, vencida por 3 a 0 pela seleção feminina, o elenco entrou com uma placa dizendo “assédio não”.

Na última semana, o então presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, foi afastado do cargo por causa da denúncia de assédio feita por uma funcionária contra ele. Nesta sexta, o dirigente foi notificado oficialmente pela Comissão de Ética sobre o caso, e tem 15 dias para apresentar sua defesa.

“Foi uma decisão em conjunto. Temos uma comissão que é alinhada com as atletas, então resolvemos mostrar nossa opinião nesse sentido. Somos contra qualquer tipo de assédio. Sem fazer pré-julgamento. Os fatos estão aí para ser apurados, mas a gente mostrou o nosso posicionamento”, afirmou a camisa 10, após a partida, em entrevista à TV Globo.

Agora, o foco se volta novamente para a preparação da equipe para a Olimpíada de Tóquio. O Brasil volta a campo na próxima segunda-feira (14), contra o Canadá, em mais um amistoso. A estreia nos Jogos está marcada para o dia 21 de julho, contra a China, pelo grupo F.

“Agora é deixar essa situação de lado focar no nosso trabalho. Esse período é muito importante para as Olimpíadas e vamos deixar que as autoridades resolvam essa situação”, completou Marta. (BN)