Últimas Notícias sobre projeção

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Boletim Focus indicou nesta segunda-feira (8) uma nova redução na estimativa para a inflação em 2022, de 7,15% para 7,11%, a sexta queda na expectativa da taxa, que vem caindo há semanas. Há um mês a taxa era de 7,67%.

Os cinemas ainda recebem filmes em rolos?

 Ana Carolina Oda/Superinteressante

Hoje, é raríssimo. Essa é uma tecnologia que caiu em desuso por um motivo simples: as cópias digitais são mais baratas e fáceis de se manusear.

Foto: Reprodução / G1

A projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2021 subiu de 3,2% para 3,5%, ficando em R$ 8,42 trilhões, segundo dados do Boletim Macrofiscal de Maio, divulgado nesta terça-feira (18), em Brasília, pelo Ministério da Economia.

Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) deste ano subiu de 3,34% para 3,43%. A estimativa está no boletim Focus desta segunda-feira (18), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC) com a projeção para os principais indicadores econômicos. Para 2022, a estimativa de inflação foi mantida em 3,50%. As previsões para 2023 e 2024 são de 3,25% e 3,22%, respectivamente.

Foto: Manu Dias/GOVBA

6 de março de 2020. Nesta data, o primeiro caso de coronavírus foi confirmado na Bahia – uma mulher de 34 anos, residente em Feira de Santana, que importou o vírus da Itália, por onde viajou. 45 dias depois, o número de infectados já chega a 1.377 pessoas, com 47 mortes pela covid-19, segundo o balanço divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) nesta segunda-feira (20). Além disso há 158 pacientes internados com a doença, sendo 64 deles em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Foto: Divulgação

O governo cortou pela metade a previsão oficial de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2019, de 1,6% para 0,81%. A medida reduz a projeção de arrecadação, dificulta o cumprimento da meta fiscal do ano e pode forçar a equipe econômica a fazer novo bloqueio no Orçamento. Essa é a terceira reavaliação para baixo feita pelo governo para calcular a execução das contas federais. O orçamento de 2019 foi elaborado no meio de 2018 e trazia, inicialmente, uma previsão de crescimento de 2,5%. Em março, o Executivo cortou a projeção para 2,2%. Depois, fez novo corte em maio, para 1,6%.

Close