Últimas Notícias sobre regulação

Foto: Mateus Pereira/GOVBA

A Bahia registrou, nesta quinta-feira (1º), o menor número de adultos aguardando transferência para leitos de UTI desde o agravamento da pandemia no estado, no final de fevereiro deste ano. Ao meio-dia, a Central Estadual da Regulação contabilizava 20 pessoas na fila, muito menos do que os dados acima de 100 registrados nos meses anteriores.

Foto: Reprodução / SMGestão

A paciente Ana Lourdes Borges segue sem conseguir seu tratamento, apesar do quadro grave de saúde por conta de uma leucemia aguda. A moradora do Vale Verde em Porto Seguro, no Sul da Bahia, mesmo com decisão judicial, ainda aguarda a regulação da gestão estadual da Bahia para um tratamento onco-hematológico. O Ministério Público (MP-BA) já acompanha o caso.

Secretário de Saúde de Salvador, Léo Prates — Foto: Reprodução/TV Bahia

O secretário de Saúde de Salvador, Léo Prates, falou que a capital baiana registrou um novo recorde de pessoas aguardando regulação, nesta quinta-feira (11).

Foto: Arquivo pessoal

Um bebê que nasceu com problemas no coração e está internado no Hospital e Maternidade Luís Argolo, em Santo Antônio de Jesus, precisa com urgência regulação para o Hospital do Coração em Salvador.

Secretário de Saúde de Salvador, Léo Prates — Foto: Reprodução/TV Bahia

Nesta terça-feira (2), pela primeira vez durante a pandemia, Salvador registrou 96 pacientes aguardando regulação para um leito de hospital. Desse total, 54 são pacientes que necessitam de atendimento em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Presidente da Câmara, vereador Chico de Dega (DEM) / Foto: Voz da Bahia

O Voz da Bahia entrevistou nesta quinta-feira (25), o presidente da Câmara Municipal de Santo Antônio de Jesus, Francisco Damasceno, o Chico de Dega (DEM), que falou sobre as atividades da casa legislativa durante os aumentos dos casos de coronavírus na cidade.

Foto: Lay Amorim / Achei Sudoeste

O prefeito de Urandi, no Sertão Produtivo, sudoeste baiano, Dorival Barbosa do Carmo, criticou o sistema de regulação e transferência de pacientes. Ao site Achei Sudoeste, Dorival, declarou que mesmo que o município providencie o encaminhamento de pacientes ao Hospital Regional de Guanambi (HRG), a unidade leva dias para transferir a pessoa para um centro de saúde com a especialidade e tratamento necessários.

Foto: Parentingupstream / Pixabay

Crescem no país a demanda e os serviços voltados ao tratamento de doentes fora dos hospitais, mas, ao mesmo tempo, não há regulamentação do setor por parte das agências reguladoras de saúde (Anvisa e ANS). O assunto foi discutido na quarta (22) em São Paulo na Hospitalar, maior feira de saúde da América Latina. Entre as propostas de entidades de saúde está a elaboração de um documento com critérios que norteiem uma nova legislação sobre o tema. O processo de desospitalização é uma tendência mundial e leva em conta o fato de que muitos pacientes internados podem ser cuidados fora dos hospitais, como em casa, em instituições de transição ou de longa permanência.Uma pessoa que tenha sofrido múltiplas fraturas ou um AVC (Acidente Vascular Cerebral),

Foto: Divulgação

O gerenciamento de leitos hospitalares da rede pública de saúde da Bahia passará a ser controlada por um software. O programa vai possibilitar que a Central Estadual de Regulação (CER) tenha acesso, em tempo real, ao número exato de leitos disponíveis em cada unidade no momento da alta hospitalar. A ferramenta começa a ser utilizada na semana que vem. O anúncio foi feito pelo secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, durante o Encontro Estadual sobre Regulação e Produtividade Hospitalar, nesta quarta-feira (10), em Salvador. O evento reuniu mais de 700 gestores municipais e diretores de hospitais públicos e filantrópicos, e aconteceu em parceria com o Conselho Estadual dos Secretários Municipais de Saúde da Bahia (Cosems-BA).

“Somente em 2019 a CER atendeu mais de 50 mil solicitações e conseguiu reduzir para abaixo de mil o número de pacientes internados que aguardavam por um procedimento, sejam avaliações com especialistas, cirurgias ou exames. Na prática, isso significa que a meta de atender todas as solicitações em até 24 horas está cada vez mais próxima, visto que a capacidade diária é de, pelo menos, 500 pacientes”, disse o secretário, que ressaltou que o aumento de eficiência deve-se a uma combinação de fatores.

Close