4ª parcela do auxílio emergencial para mãe solteira: quando será pago?

Saque do auxílio emergencial

A Caixa e o Governo Federal devem pagar 4ª parcela do auxílio emergencial para mãe solteira e todos os demais beneficiários no mês de julho, a partir do dia 23, para quem nasceu em janeiro.

Existe a expectativa da Caixa antecipar o pagamento da quarta parcela do auxílio emergencial 2021, mas como não foi confirmado ainda, o calendário prevê o pagamento entre os dias 23 de julho a 22 de agosto, seguindo o mês de nascimento do beneficiário.

Calendário da 4ª parcela do auxílio emergencial para mãe solteira

Para beneficiários do Bolsa Família, a quarta parcela do auxílio emergencial é liberada antes e começa a ser paga no dia 19 de julho, seguindo o número final do NIS (Número de Identificação Social).

Número do NIS terminado em 1: recebe dia 19 de julho
Número do NIS terminado em 2: recebe dia 20 de julho
Número do NIS terminado em 3: recebe dia 21 de julho
Número do NIS terminado em 4: recebe dia 22 de julho
Número do NIS terminado em 5: recebe dia 23 de julho
Número do NIS terminado em 6: recebe dia 26 de julho
Número do NIS terminado em 7: recebe dia 27 de julho
Número do NIS terminado em 8: recebe dia 28 de julho
Número do NIS terminado em 9: recebe dia 29 de julho
Número do NIS terminado em 0: recebe dia 30 de julho

Já para beneficiários do público em geral, como mães solteiras, trabalhadores informais que não têm registro em carteira de trabalho, e também não recebem nenhum benefício previdenciário, como estabelece a lei de criação do Auxílio Emergencial, o calendário segue o mês de nascimento, veja:

23 de julho: nascidos em janeiro
25 de julho: nascidos em fevereiro
28 de julho: nascidos em março
1º de agosto: nascidos em abril
3 de agosto: nascidos em maio
5 de agosto: nascidos em junho
8 de agosto: nascidos em julho
11 de agosto: nascidos em agosto
15 de agosto: nascidos em setembro
18 de agosto: nascidos em outubro
20 de agosto: nascidos em novembro
22 de agosto: nascidos em dezembro.

Lembrando que o calendário acima é para liberação do pagamento, já a ordem de saque, ou seja, quando os beneficiários podem sacar o auxílio emergencial ou então transferir da Caixa Tem para outra conta corrente acontece, geralmente, duas semanas depois.

Quem recebe auxílio emergencial 2021?

Para receber o auxílio emergencial, o beneficiário tem que ter mais de 18 anos, com exceção de mães adolescentes, não ter carteira assinada nem receber nenhum benefício previdenciário.

Também precisa ter tido rendimento abaixo de R$ 28.559,70 referente ao ano de 2019. O beneficiário não pode ter patrimônio superior a R$ 300 mil. Ficam excluídos também quem tenha CPF vinculado à pensão por morte, seja estagiário, residente médico ou multiprofissional ou ainda receba bolsas de estudo dos governos municipal, estadual ou federal.

Qual o valor da 4ª parcela do auxílio emergencial para mãe solteira

Neste ano, o auxílio emergencial vem sendo pago desde abril. Inicialmente serão quatro parcelas, no entanto o Governo Federal já sinalizou que vai prorrogar o benefício. Os valores variam conforme a composição da família e vão de R$ 150, R$ 250 e R$ 375. Veja:

  • Pessoas que moram sozinhas recebem parcelas de R$ 150;
  • Famílias com mais de uma pessoa e que não são chefiadas por mulheres recebem parcelas de R$ 250;
  • Mulheres provedoras de família monoparental (mães solteira) recebem parcelas de R$ 375.

O maior valor este ano é pago para as mães solteiras e chefes de famílias, no entanto, todos os beneficiários são condicionados aos critérios de não ter trabalho formal registrado em carteira nem receber benefícios do INSS. O único programa que pode se somar ao auxílio emergencial é o Bolsa Família.

A 4ª é a última parcela do auxílio emergencial 2021? 

Desde que o benefício começou a ser pago em 2021, muito se fala sobre a prorrogação do auxílio emergencial, em especial porque a terceira onda veio com tudo e a grande parcela da população ainda não foi vacinada.

O Governo Federal já sinalizou que vai sim prorrogar o benefício por pelo menos mais duas parcelas. No entanto, as novas datas não foram confirmadas. O que se sabe é que se houver, a prorrogação vai seguir com os mesmos valores pagos este ano: R$ 150,00 para indivíduos que moram sozinhos, R$ 250,00 para famílias e R$ 375,00 para mães solteiras. (Jornal DCI)