Acusado de gestão temerária, Paulo Carneiro é destituído da presidência do Vitória

Foto: Paulo Victor Nadal/ Bahia Notícias

Agora, o afastamento é definitivo. Neste sábado (21), em Assembleia Geral Extraordinária realizada no Barradão, em Salvador, Paulo Carneiro foi destituído da presidência do Esporte Clube Vitória pelos sócios-torcedores do clube.  Apesar da destituição, Paulo Carneiro permanece como sócio vitalício do Vitória. Porém, com a decisão, o ex-presidente fica inelegível por sete anos, sem poder disputar qualquer cargo eletivo dentro do clube.

Ao todo, cerca de 150 sócios-torcedores participaram da Assembleia Geral Extraordinária, com apenas uma abstenção de voto. O movimento foi tranquilo na manhã de hoje no Barradão. 

Foto: André Carvalho/ Ag Haack/ Bahia Notícias

Paulo Carneiro foi acusado de gestão temerária por diversas irregularidades, como adiantamento de remunerações durante a pandemia, ausência de um contrato entre o clube e empresa Magnum, que recebeu R$ 3,5 milhões do Vitória, bem como falta de transparência na aquisição do atacante Jordy Caicedo, gastos pessoais no cartão corporativo da agremiação, entre outras coisas. Ele estava afastado desde setembro da presidência. 

Com isso, Fábio Mota, que é presidente do Conselho Deliberativo, e que estava interinamente na presidência do Vitória, assume o comando da agremiação até dezembro deste ano, quando se iniciará uma nova gestão. Luiz Henrique Vianna, que era vice-presidente do clube, renunciou no mês passado.

Na linha sucessória do Conselho Deliberativo, quem está apto para assumir é Cacau Menezes, vice-presidente do colegiado rubro-negro. Porém, existem rumores que ele não está disposto a ocupar o posto. Nesta situação, duas possibilidades: eleição direta para recomposição do presidente e vice do Conselho ou pleito somente com participação dos membros do atual CD.

por Glauber Guerra / Mauricio Leiro / Bahia Notícias

  • TAGS