Após cobrar serviço de irmã de PM, morador de Canavieiras é atacado por policial na BA; militar foi preso

-
Imagens mostram PM ameaçando morador em Canaveiras, na Bahia — Foto: Reprodução/Redes sociais

Um morador da cidade de Canaveiras, no sul da Bahia, denunciou um policial militar por tentativa de homicídio, depois que o PM atacou e efetuou disparos contra ele, por ter cobrado o pagamento de um serviço de conserto de celular feito para a irmã do militar, na sexta-feira (10). O soldado foi preso em flagrante e está custodiado sob guarda da PM neste sábado (11).

André Duarte tem uma loja de reparos de celular e prestou o serviço à irmã do policial, identificado como Vanklebson da Silva Santos, há cerca de oito meses. Ele conta que, na hora de fazer o pagamento, o cartão da mulher não passou e ele então deixou que ela pagasse outro dia.

“Como eu a conhecia, disse que ela poderia passar outro dia e pagar. Daí passou meses, comecei a cobrar a ela, mas sem sucesso. Ela me bloqueou nas redes sociais, então passei a cobrança dela para minha mãe fazer, mas ela acabou bloqueando todo mundo [da família de André] para exatamente não pagar”, conta ele.

André então descobriu onde a irmã do policial morava e foi algumas vezes na casa dela fazer a cobrança do serviço. Ele relata que já na sexta-feira (10), a mãe dele esteve na casa da mulher para tentar mais uma vez reaver o dinheiro devido pela irmã de Vanklebson.

“Minha mãe foi lá cobrar e ela me acusou de tê-la roubado. Então eu fui na casa dela saber o que eu tinha roubado. Chegando lá, ela já tinha adentrado em sua casa e trancado a porta para não atender ninguém. Chamei pelo nome dela inúmeras vezes, mas sem sucesso”, detalha André.

Ele então voltou para casa e conta que, minutos depois, o policial esteve na porta da casa dele e o agrediu.

“Estávamos todos na frente de casa: eu, minha mãe, minha esposa com meu filho de 4 meses no colo, meu filho de 4 anos e minha enteada de 14 anos. Ele chegou, nem me disse nada, e veio para cima de mim me dando um soco no rosto. Eu me defendi na hora, daí ele sacou a arma e aconteceu tudo isso aí”, lembra André.

A família gravou um vídeo do momento da situação. As imagens mostram o momento em que os dois discutem, depois da agressão que André conta ter sofrido. O vídeo mostra o momento em que o PM saca a arma e parte para cima de André, efetuando um disparo. A família tenta conter o policial, que chega a entrar na garagem de um lava-jato, ao lado da casa de André. Nesse momento, ele dispara novamente e faz ameaças de morte.

A esposa de André pede o tempo inteiro para Vanklebson parar e a mãe dele se coloca na frente do policial, ainda armado. A porta da garagem é fechada, enquanto o policial segue discutindo do lado de fora com a mãe de André. Depois disso, as imagens acabam e não dá para ver o momento em que o PM vai embora.

“Por pouco não foi uma tragédia sem precedentes. Sorte que eu não fui atingido e ninguém de minha família. Ele ameaçou de morte minha irmã, ameaçou o rapaz que trabalha no lava-jato, ameaçou meu irmão, ameaçou todo mundo de morte lá na porta. O pessoal também está indo registrar queixa dele. Ele deu uns tiros em minha direção e depois saiu catando as cápsula de bala no chão”, disse André.

O carro da família e a parede da casa ficaram com marcas dos tiros disparados. O caso foi registrado na 7ª Coordenadoria Regional do Interior (Coorpin), em Ilhéus, também no sul da Bahia. André conta que só conseguiu sair da delegacia já na madrugada deste sábado (11). O policial foi preso em flagrante e teve a arma apreendida.

“É uma sensação horrível, eu nem sei explicar. [Medo] De uma bala acertar meu filho de 4 meses, com duas crianças junto. Estava todo mundo na calçada de casa, todo mundo junto. Minha mãe entrou na frente dele e conseguiu agarrar ele, por isso que ele não conseguiu acertar os primeiros tiros em mim. Mas mesmo assim, pôs em risco todo mundo, as crianças aqui. Não digo nem minha vida, eu pensei na vida de meus filhos, crianças pequenas, e ele atirando no meio de todo mundo”, disse André.

No boletim de ocorrência, o delegado de plantão, Helder Carvalhal, detalhou que a prisão do PM será comunicada ao Ministério Público da Bahia. O caso também foi informado às corregedorias da Polícia Militar e da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA).

Ainda no registro da ocorrência, o PM declarou que a irmã dele estava sendo “cobrada de forma agressiva e que estava se sentindo ameaçada”. O PM alegou ainda que não estava tentando matar André.

O G1 entrou em contato com a Polícia Militar, para saber se a Corregedoria da PM apura a situação. Em nota, a PM respondeu que uma guarnição foi acionada e, quando chegou ao local, conduziu o policial e os demais envolvidos para a 7ª Coorpin de Ilhéus, onde a ocorrência foi registrada. A Polícia Militar disse ainda que aguardará a decisão da Justiça, com relação ao caso. (G1/Ba)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui