Após indulto de Natal, teste para Covid-19 é feito em apenas 41 presos na Bahia

Foto: Divulgação

Apesar de aproximadamente 400 detentos terem saído dos presídios na Bahia para as comemorações do Natal e do Ano Novo, apenas 41 testes para detectar uma possível infecção da Covid-19 foram realizados pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) desde 21 de dezembro. No caso dos servidores, o número de exames é maior: foram 70.

Em menos de um mês, o número de casos de Covid-19 em internos do sistema prisional saltou de 713 para 722. Já com os funcionários das unidades prisionais, o crescimento foi mais expressivo: de 973 para 1072. 

Os dados fazem parte do primeiro levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre o coronavírus nos presídios após o indulto de fim de ano, que contabilizou os testes realizados até a última segunda-feira, 18.

Procurada pela reportagem do Portal A TARDE, a Seap afirmou que até o Plano de Contingenciamento Para a Covid-19 preconiza que os internos que retornam das saídas temporárias são encaminhados ao isolamento pelo período de 14 dias.

Ainda segundo o órgão, aqueles que apresentarem sintomas são testados para o SARS-CoV-2. Conforme a pasta, até esta sexta-feira, 21, 51 testes PCR qualitativo foram realizados em internos dos presídios baianos.

Cenário nacional

Conforme as informações publicadas no documento, em todo o país, são 2.314 novos casos oficiais de Covid-19 entre pessoas em privação de liberdade e servidores.

A atualização leva em conta o total de ocorrências desde o início da pandemia a 63.442 casos. Sendo 43.799 registros de contaminação em presos e 13.665 em servidores. No sistema socioeducativo, 1.377 adolescentes foram infectados, além de 4.611 trabalhadores, com 27 mortes.

A Seap afirma que, por questões de segurança, não revela detalhes sobre o plano de contingenciamento para a Covid-19 para evitar um possível surto dentro das unidades baianas.

A pasta diz, entretanto, que segue os protocolos da Organização Mundial de Saúde, da Secretaria de Saúde e do Governo do Estado para que os internos não levem o coronavírus para dentro dos presídios.

Proteção

No boletim, o governo informou ao CNJ que equipamentos de proteção individual foram adquiridos através de processos de aquisição, doações, além de produção própria, e têm sido distribuídos em quantidade suficiente para internos e servidores.

Aproximadamente 23.100 máscaras foram distribuídas ao mês para pessoas presas, além de aventais e óculos de proteção para servidores. O governo estadual disse que está sendo oferecido um “Kit Reforço Alimentar” elaborado por nutricionistas do sistema prisional, com o objetivo de fortalecer o sistema imunológico das pessoas privadas de liberdade.

Além disso, foram instaladas 54 pias e 160 dispensers de álcool e/ou sabão líquido. Sabonete líquido, desinfetante e pulverizadores, detergente líquido, água sanitária, baldes e panos de chão estão entre os materiais de limpeza foram adquiridos e distribuídos.

Número total de testes

Nacionalmente, foram realizados 178.424 testes em pessoas presas e 57.494 em servidores – além de outras 15.579 testagens realizadas em unidades do estado do Ceará, que não distinguiu a que segmento foram destinadas.

Em estabelecimentos da esfera federal, foram 102 testes em pessoas privadas de liberdade e 277 entre servidores. Já no sistema socioeducativo, houve a testagem de 10.958 adolescentes privados de liberdade e de 20.353 servidores, em 23 estados.

Até o momento, R$ 80,9 milhões foram destinados para esse fim em tribunais de 25 estados, além de R$ 2,5 milhões no TRF3. Quanto a recursos para prevenção à Covid-19 nos sistemas prisional e socioeducativo, foi registrado o repasse de R$ 3 milhões em recursos federais para seis estados (Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Piauí e Rio Grande do Sul). Recursos de outras fontes totalizam R$ 13,8 milhões, que foram destinados a dez estados. (A Tarde)