Após um mês de Exército na Amazônia, queimada diminui e desmate aumenta

0
121
-
Foto: Divulgação/SSP-BA

O balanço de um mês da ação das Forças Armadas na Amazônia para combater queimadas na floresta demonstrou que a quantidade de incêndios caiu, entretanto aumentou o percentual de desmatamento.

Segundo o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), enquanto houve redução superior a 25% nas queimadas, caiu mais de 63% o índice de apreensões de toras de madeira e motosserras.

- Anúncio -

Quando o número de focos disparou na Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou um decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) na região, com envio de militares para combater queimadas e outros crimes ambientais.

Em nota, o Ministério da Defesa defendeu a “efetividade” da operação na floresta e disse ainda que a presença dos militares na região inibe crimes, o que reduz as autuações, segundo informações do Estado de S. Paulo.

“Até o momento, os militares e integrantes de agências participantes já combateram mais de 1,6 mil focos de incêndio, detiveram 68 pessoas e lavraram 201 termos de infração, o que resultou na aplicação de R$ 46 milhões em multas. Além disso, os militares destruíram 17 acampamentos ilegais, apreenderam 74 veículos e mais de 20 mil litros de combustível, escavadeiras, motosserras e motobombas”.

De 24 de agosto a 24 de setembro, porém, o total de bens apreendidos foi menos da metade do apreendido no mesmo período de 2018, em que não ocorreu nenhuma operação policial.

(Bahia. Ba)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui