Apresentador da CNN discute com Alexandre Garcia sobre cloroquina: ‘E os mortos?’. Assista!

-
Foto: Reprodução / CNN Brasil

Apresentador do programa “Novo Dia”, da CNN, o jornalista Rafael Colombo entrou em atrito com o comentarista Alexandre Garcia, nesta sexta-feira (7). Durante o quadro “Liberdade de Opinião”, comandada pelo veterano, os dois entraram em discordância sobre a cloroquina, medicamento alvo de polêmicas no tratamento da Covid-19. 

Segundo o site Metrópoles, Garcia, que acredita na eficácia da droga, voltou a defender o uso da cloroquina na televisão. O discurso do comentarista, no entanto, causou questionamento imediato de Colombo: “E os 100 mil que morreram? Se realmente funcionasse não seríamos o 3° país com o maior número de mortos no mundo”.

As declarações de Colombo não pararam por aí, já que o jornalista continuou a fazer várias reflexões sobre a desistência do uso da substância por partes de outras nações. “Se a cloroquina funciona, é barata, e serviu como você falou na Amazônia para lúpus, malária e outros tipos de doença, por que o mundo teria deixando tanta gente morrer se tem um remédio barato à disposição? A troco de que tanta gente morrer se tem um remédio barato à disposição? A troco de que tanta gente morreria se a cloroquina funciona?”, perguntou. 

Com uma resposta irônica, Alexandre Garcia disse que “se não funcionar, ela não existe, pois está funcionando”. Rafael, em seguida, rebateu: “Ninguém provou que ela está funcionando, né, Alexandre?”. O ex-Globo, logo depois, completou sua fala: “As pessoas que sobreviveram são a prova. É assim que começa a ciência, a experiência”.

Inconformado com a resposta do colega de emissora, Colombo continuou firme com seus argumentos e lembrou de pessoas próximas que foram vencidas pelo novo coronavírus. “E os 100 mil que morreram? Eu tive dois amigos que morreram de Covid-19. Eles morreram à toa, então? Porque fica parecendo que gastando R$ 20 na farmácia eles poderiam estar aqui, comigo, agora. E não é assim”, declarou. 

Alexandre, então, questionou Rafael: “Certamente não morreram à toa. Eu perguntei se eles usaram hidroxicloroquina prematuramente?”. A discussão, enfim, só encerrou quando Colombo externou respeito a Garcia, ao mesmo tempo deixando claro seu incômodo com as falas do veterano. 

ASSISTA: