Bruna Karla é alvo de intolerância por se recusar a cantar em cerimônia homossexual

Foto: reprodução/Instagram

A cantora Bruna Karla, um dos nomes mais populares da música gospel no Brasil, na atualidade, virou alvo de ataques de intolerância, após ela se posicionar de acordo com o que a Bíblia diz sobre a prática homossexual, condenada como um pecado nas Escrituras sagradas.

Bruna participou do podcast da atriz Karina Bacchi, onde falou sobre a sua reação ao receber o convite de um amigo homossexual para cantar em sua cerimônia de união homoafetiva.

“Fui bem sincera e disse: Ah, quando você se casar com uma mulher linda e cheia do poder de Deus, eu vou sim […] O dia que eu aceitar cantar em um casamento com outro homem, eu posso parar de cantar sobre a Bíblia e sobre Jesus”, disse a cantora.

Bruna Karla continuou com o seu posicionamento, baseada nos ensinos da Bíblia Sagrada, explicando que o projeto de Deus para a família diz respeito apenas à união entre homem e mulher, o que é evidente nas Escrituras começando pelo livro de Gênesis.

“Aos meus queridos ouvintes homossexuais, o que Deus tem para a sua vida é libertação. O que Deus tem para a sua vida é o que Ele sonhou para você. Receba todo o meu amor, o meu respeito, porque Jesus não sonhou isso para você”, destacou a cantora.

Na sequência, Bruna simulou um cenário do vai acontecer, do ponto de vista espiritual, com os que não reconhecem e não se arrependem dos seus pecados, mesmo sendo avisados, a exemplo da prática homossexual.

“Lá no julgamento, quando Jesus voltar, se ele estiver, ele vai falar: ‘Poxa, a Bruna andou comigo, ela sabia que eu estava errado, que o caminho que eu estava escolhendo era de morte eterna’. Eu chego a ficar emocionada porque se a gente abrir a nossa boca para dizer que você não vai para o céu… Gente, é morte eterna, inferno! Já imaginou viver uma condenação eterna? É para sempre que você vai viver aquilo. Acabou. É terrível!”, concluiu a cantora.

Ataques

Em relação ao posicionamento bíblico de Bruna Karla, várias mídias e famosos repercutiram a fala da cantora, lhe retratando como se fosse “homofóbica”.

O ex-BBB Gil do Vigor, por exemplo, fez um comentário sem qualquer contextualização bíblica para criticar a cantora:

“De fato, quando Jesus aparecer alguém irá se envergonhar e não é seu amigo gay, mas sim você por sua atitude preconceituosa! João 14 fala que Deus nos chama de amigos e a palavra amigo é forte demais para ser sustentada com base no preconceito e falta de amor ao próximo”, postou a celebridade do BBB.

O pastor Silas Malafaia, contudo, saiu em defesa de Bruna Karla, defendendo o seu direito de se posicionar, assim como o de decidir onde cantar. “Estamos em uma democracia, ela é livre pra cantar onde ela quer e não onde os outros determinam”, afirmou Silas ao Pleno News.

“Ela tem o direito de querer cantar e não cantar. Eu tenho direito de pregar e não pregar onde eu quero. Seja igreja evangélica ou não. A decisão é minha. O poder da minha decisão da garantia constitucional. Acabou o papo.”